This site is operated by a business or businesses owned by Informa PLC and all copyright resides with them. Informa PLC's registered office is 5 Howick Place, London SW1P 1WG. Registered in England and Wales. Number 8860726.

Transporte Aeromédico investe em tecnologia de ponta para ganhar mercado

By 27 de julho de 2016 Você Informa

Dados do Sistema Único de Saúde (SUS – 2013) apontam 170.805 internações por acidentes de trânsito no Brasil. Quando são somados acidentes domésticos e transferências entre unidades de saúde, o número de brasileiros que em algum momento utilizam um veículo de resgate aumenta consideravelmente. Dentro deste panorama, um segmento que vem ganhando destaque é o de transporte aeromédico, que utiliza jatos e helicópteros em suas operações, tornando o socorro mais rápido. A Magnamed, empresa nacional voltada para o mercado de critical care, aponta o crescimento da venda de equipamentos Oxymag e OxyMag Agile, ventiladores pulmonares portáteis, para este tipo de atendimento.

Além do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), várias empresas que seguem normas e legislações específicas vigentes do Comando da Aeronáutica, estipuladas pelo Departamento de Aviação Civil, estão aptas para prestar este tipo de serviço para as redes particulares e públicas de saúde. Um exemplo é a Helisul, empresa paranaense que atua no Brasil e em todos os países do continente americano com uma frota de 2 aviões e 13 helicópteros.

De acordo Rodrigo Vechi, diretor da Helisul, para estarem aptas a esta prestação de serviço as unidades se transformam em UTIs aéreas, com todos os equipamentos necessários para atendimento inicial ao paciente (no local da chamada) visando sua estabilização inicial, preparo e transporte com condições de suporte avançado à vida até instituição de saúde que dará a continuidade do atendimento. “Um dos equipamentos de suma importância nesta estrutura é o ventilador pulmonar”, explica o executivo. A empresa utiliza, para este fim o Oxymag, equipamento compacto, com interface intuitiva, fabricado pela Magnamed.

Vech explica o motivo da escolha. “O Oxymag é pequeno, de fácil manuseio e atende diferentes perfis de pacientes (bebês, crianças ou adultos). Se em um transporte atendo um adulto, no seguinte posso atender um bebê e modificar os parâmetros em segundos. Não há necessidade de ter vários ventiladores pulmonares a bordo”, ressalta.

Para poder trabalhar no resgate aéreo, a equipe (composta por um médico, um enfermeiro e o piloto) precisa passar por um treinamento específico e também se adequar. Os profissionais de saúde, além do ensino superior, devem estar habilitados para ações de atendimento pré-hospitalar e aeromédico nas modalidades de resgate e transporte Inter-Hospitalar. Já os pilotos devem ser habilitados de acordo com as normas e regulamentos vigentes do Comando da Aeronáutica, Código Brasileiro de Aeronáutica e Departamento de Aviação Civil.

Para atuação em ações de resgate em helicópteros, sob a orientação do médico da aeronave, é recomendável que o piloto possua capacitação em manejo auxiliar de pacientes, em caso de apoio ao médico responsável, se necessário. “O manejo do Oxymag é tão simples que agilizou inclusive o treinamento de nossas equipes”, completa Vechi.

Com planos de expansão, o executivo afirma que manterá a parceria com a Magnamed. “Nosso espaço físico de trabalho é limitado ao tamanho das aeronaves. Por isso os ventiladores pulmonares compactos atendem às nossas exigências. O fato da interface ser de fácil utilização também faz toda a diferença”, finaliza o diretor.

 

Portal Saúde Business

About Portal Saúde Business

Formar e informar o executivo de saúde é o que fazemos todos os dias. Há mais de 15 anos desenvolvendo um conteúdo proprietário e centrado nos principais gestores do país, acompanhamos as notícias e tendências que impactarão no dia-a-dia dos hospitais, operadoras, centros diagnósticos, farmacêuticas e clínicas do país.

Leave a Reply