This site is operated by a business or businesses owned by Informa PLC and all copyright resides with them. Informa PLC's registered office is 5 Howick Place, London SW1P 1WG. Registered in England and Wales. Number 8860726.

Tecnologias auxiliam no diagnóstico precoce do câncer colorretal

By 29 de abril de 2016 Você Informa

Identificar um câncer no início aumenta, e muito, as chances de cura do paciente. Por isso, os médicos lançam mão de uma série de exames que possibilitam o diagnóstico precoce. No caso do câncer colorretal, o exame mais indicado é a colonoscopia. “Esses aparelhos evoluíram muito e, hoje, permitem uma visão em alta definição do intestino, o que amplia as possibilidades de identificar o tumor ainda no início”, afirma o Dr. Artur Parada, coordenador de endoscopia do Hospital 9 de Julho.

Além de diagnosticar a doença, a colonoscopia também é usada no tratamento. O médico explica que acessórios com alta tecnologia agregados ao equipamento são utilizados para retirar pequenos tumores ou pólipos (lesões pré-cancerígenas) somente com o procedimento, que é minimamente invasivo. “Dessa forma, o paciente fica menos exposto a complicações e tem uma recuperação mais rápida”, diz.

Segundo informações do Instituto Nacional do Câncer (Inca), estima-se para 2016, no Brasil, 16.660 casos novos de câncer de colorretal em homens e de 17.620 em mulheres. “É um tipo de tumor que está muito associado ao envelhecimento da população e, por isso, tem aumentado o número de casos nos últimos anos”, explica o Dr. Artur Parada.

Ele destaca que o exame de colonoscopia é indicado para homens e mulheres acima dos 50 anos que não têm histórico familiar. Para quem possui casos na família, a prevenção deve começar ainda mais cedo e a idade certa deve ser avaliada pelo médico do paciente.

“Entre 30% e 40% da população acima de 50 anos possui pólipos no intestino. Com isso, a colonoscopia é especialmente efetiva, pois na maior parte dos casos o câncer colorretal se origina a partir dessas lesões”, esclarece. “Portanto, medidas que promovam a identificação e remoção destes pólipos, ainda em fase pré-maligna, podem reduzir consideravelmente o surgimento desse tipo de câncer”, completa.
O câncer colorretal em fase inicial não costuma ter sintomas, o que torna ainda mais importante o acompanhamento médico. Em fase mais avançada, ele pode causar sangramento nas fezes, dores abdominais, fraqueza, anemia, entre outros.

Evento

O rastreamento do câncer colorretal será um dos temas discutidos no Fórum Doenças do Aparelho Digestivo “Ciência e Tecnologia em Alta Complexidade”, que acontece nos dias 17 e 18 de maio, durante a Feira Hospitalar. O evento será promovido pelo Grupo de Doenças do Aparelho Digestivo (GAD) do Hospital 9 de Julho.

“Com o avanço da tecnologia e suas aplicações em medicina achamos de fundamental importância a divulgação e discussão das novas fronteiras que se abrem no diagnóstico e no tratamento das doenças do aparelho digestivo”, afirma o Dr. Artur Parada. Serão tratados ainda temas como intolerâncias e alergias alimentares, diabetes, obesidade, cirurgias e procedimentos minimamente invasivos, robótica, entre outros.

Portal Saúde Business

About Portal Saúde Business

Formar e informar o executivo de saúde é o que fazemos todos os dias. Há mais de 15 anos desenvolvendo um conteúdo proprietário e centrado nos principais gestores do país, acompanhamos as notícias e tendências que impactarão no dia-a-dia dos hospitais, operadoras, centros diagnósticos, farmacêuticas e clínicas do país.

Leave a Reply