This site is operated by a business or businesses owned by Informa PLC and all copyright resides with them. Informa PLC's registered office is 5 Howick Place, London SW1P 1WG. Registered in England and Wales. Number 8860726.

⚠️ Hospital Albert Einstein, Rede D'Or, Amil, DASA, Fleury... todos no HIS. E você? Clique aqui

A consolidação da telemedicina no Brasil é incontestável

By 8 de janeiro de 2019 Você Informa

A primeira vez em que vi um eletrocardiograma feito a distância, em 1992, em Israel, eu soube que aquilo podia mudar o mundo. Sem internet, as ondas sonoras passavam por uma linha analógica e eram desenhadas do outro lado. Um médico cardiologista fazia o laudo e mandava para o paciente. Naquele momento, eu decidi trazer a técnica para o Brasil. Aqui, porém, a realidade foi outra e não consegui implantar o mesmo modelo, por diversas questões que esbarravam na legislação, e que não permitiam a prática da telemedicina no país em uma relação direta entre médico e paciente.
Mesmo assim, em 1993, flexibilizamos o formato e conseguimos abrir as portas da telemedicina no Brasil, começando por diagnósticos cardiológicos. Porém, eles tinham que ser feitos entre médicos plantonistas e clínicas, hospitais e empresas, nunca direto com o paciente.
Isso faz 25 anos, e, de lá para cá, a internet e a constante revolução da tecnologia foram permitindo mais e melhores exames, laudos e atendimentos infinitamente mais complexos. Mesmo assim, no Brasil, há limitantes a procedimentos médicos a distância. Os argumentos que sustentam esse bloqueio vão desde fraude médica à segurança da informação – questões passíveis de riscos no mundo físico também.
A telemedicina reduz custos com saúde tanto nos setores público quanto no privado. Aumenta a competitividade entre as variadas empresas que usam o formato, aumentando consequentemente, a qualidade do atendimento. A tecnologia continuará se aprimorando, o que melhorará os procedimentos tornando-os ainda mais acurados. A telemedicina salva mais vidas.
É certo que estamos chegando a um momento de abertura total, que precisa de regulamentação flexível e clara, e só está sendo possível graças à união das empresas do setor, que estamos promovendo há cerca de um ano. Não temos mais escolha. O Brasil é um país de dimensões continentais, sem acesso à saúde em várias regiões. Talvez seja difícil para quem vive no sudeste e sul do país compreender o tamanho dessa restrição, pois 70% dos médicos especialistas estão concentrados nessas regiões. Em São Paulo, são quatro médicos para cada mil habitantes, enquanto no Nordeste são apenas dois médicos para cada mil. No Norte é menos de um médico.
Impedir a telemedicina no Brasil é negar atendimento especializado de qualidade a uma enorme parcela da população, é um revés para a saúde do país e nos remove dos mais importantes avanços de tecnologia médica deste século. Ela não só é incontestável, como mandatória.

Portal Saúde Business

About Portal Saúde Business

Formar e informar o executivo de saúde é o que fazemos todos os dias. Há mais de 15 anos desenvolvendo um conteúdo proprietário e centrado nos principais gestores do país, acompanhamos as notícias e tendências que impactarão no dia-a-dia dos hospitais, operadoras, centros diagnósticos, farmacêuticas e clínicas do país.

Leave a Reply