This site is operated by a business or businesses owned by Informa PLC and all copyright resides with them. Informa PLC's registered office is 5 Howick Place, London SW1P 1WG. Registered in England and Wales. Number 8860726.

Smartphones no combate ao diabetes

By 25 de agosto de 2020 TI e Inovação
Controle do Diabetes

O diabetes é, frequentemente, uma doença insidiosa, que não se manifesta repentinamente, o que dificulta seu diagnóstico e aumenta a morbidade. E o pior é que ela vem crescendo: afetava 451 milhões de pessoas em 2019 e deve chegar a 693 milhões em 2045 – cerca de 10% da população da Terra.

Surge agora uma nova arma na luta contra a doença: o artigo A digital biomarker of diabetes from smartphone-based vascular signals, publicado pela revista Nature Medicine, traz os resultados de uma pesquisa dando conta que, usando um smartphone, pode-se identificar a presença da doença com um índice de acerto superior a 80%. E o melhor é que para isso basta adaptar um aplicativo já existente, que foi desenvolvido para determinar a frequência cardíaca.

Os pesquisadores levantaram a hipótese de que um exame chamado fotopletismografia, que identifica danos vasculares causados pelo diabetes, pode ser feito utilizando o flash e a câmera dos smartphones, que capturariam as variações de cor das pontas dos dedos a cada batimento cardíaco; dependendo dessas variações, pode-se avaliar o estado dos vasos sanguíneos dessa parte do corpo, vasos esses que são afetados pelo diabetes.

Os pesquisadores criaram uma Rede Neural Profunda (Deep Neural Network) que foi “ensinada” recebendo informações sobre três milhões de portadores de diabetes, ficando capacitada a constatar ou não a presença da doença ao analisar as variações de cor das pontas dos dedos de uma pessoa.

Médicos erram ao diagnosticar e redes neurais também erram, mas esta teve um índice de acerto de 82% ao apontar casos positivos de diabetes e de 92% nos casos negativos. Assim, pode ser considerada uma ferramenta útil no combate à doença, especialmente ao ajudar a detectar o problema em pessoas assintomáticas, caso em que o tratamento pode ser iniciado mais cedo, evitando o agravamento da doença.

Sobre o autor
Vivaldo José Breternitz é Doutor em Ciências pela Universidade de São Paulo, é professor da Faculdade de Computação e Informática da Universidade Presbiteriana Mackenzie.
Portal Saúde Business

About Portal Saúde Business

Formar e informar o executivo de saúde é o que fazemos todos os dias. Há mais de 15 anos desenvolvendo um conteúdo proprietário e centrado nos principais gestores do país, acompanhamos as notícias e tendências que impactarão no dia-a-dia dos hospitais, operadoras, centros diagnósticos, farmacêuticas e clínicas do país.