This site is operated by a business or businesses owned by Informa PLC and all copyright resides with them. Informa PLC's registered office is 5 Howick Place, London SW1P 1WG. Registered in England and Wales. Number 8860726.

HOSPITALAR 2019 Já emitiu sua credencial gratuita? Clique aqui

Construindo Hospitais em Realidade Virtual

By 25 de abril de 2019 Destaques, TI e Inovação

De acordo com o US National Building Information Model Standard Project Committee, Building Information Modeling (BIM) é a representação digital das características físicas e funcionais de um edifício. É uma fonte de conhecimento compartilhado sobre uma edificação que forma uma base confiável para tomada de decisão durante todo seu ciclo de vida; da concepção à demolição.

Originalmente os projetos eram feitos em duas dimensões – basicamente compostos por plantas, elevações e cortes. Além do 3D, que agrega a dimensão de profundidade, o BIM se extende também para o 4D (tempo) e 5D (custo). Já existem também referencias de 6D (análise de sustentabilidade) e 7D (gerenciamento de ciclo de vida). A verdade é que quando lidamos com a simulação de um edifício real de maneira virtual, existem inúmeras dimensões que podem ser incoporadas à esse modelo, como normas especifícias ou até mesmo operações. No caso de modelos hospitalares, imagine se pudessemos incorporar a RDC 50 – Resolução da ANVISA – aos projetos, de forma à garantir o atendimento as normas básicas. Ou se pudessemos agregar informações da operação para simular o funcionamento de um departamento ou até do hospital inteiro para subsidiar tomadas de decisão.

Essas simulações podem economizar inúmeros recursos a longo prazo, mas demandam investimento de tempo e dinheiro na fase de modelagem e discussão de cenários. Ainda lidamos com uma cultura imediatista, onde economizar 10 reais hoje muitas vezes é mais importante que economizar 1.000 reais em 2 anos. A fim de entendermos os reais benefícios do BIM é preciso mudar essa mentalidade!

O primeiro passo para um projeto bem sucedido em BIM é PLANEJAMENTO – determinar quais informações deverão ser extraídas do modelo no futuro, ou seja, qual será o nível de detalhe. A quantidade de informações a serem extraídas é igual a quantidade informações a serem inseridas no modelo durante a sua criação. Pense numa porta: ela pode ser representada por um simples retangulo em planta, caso apenas a representação 2D dela seja necessária para a construção, ou pode ter agregada a ela informações sobre o batente, dobradiças, maçanetas e parafusos, tudo isso incorporado ao modelo. Sendo assim o tempo de criação de um modelo é variável e único de cada projeto.

Todos entendemos os benefícios básicos do BIM, como coordenação interdiciplinar, diminuição de erros em obra e facilidade de visualização, mas ainda estamos longe de explorar todo o potencial dessa ferramenta. O escopo completo do BIM que incorpora além de projeto e construção, também a operação e manutenção desses edifícios, abre uma serie de novas oportunidades de utilização e interação com o modelo. Especialmente para edíficios de alta complexidade como os de saúde, o BIM deve ser visto como um importante aliado nessa jornada que começa muito antes da construção.

Bruna Monzillo

About Bruna Monzillo

Bruna Monzillo é consultora em Planejamento Estratégico e Arquiteta com vasta experiência em projetos e planos diretores de grande escala. Especializada em Arquitetura e Planejamento Hospitalar, possui MBA em Gestão de Saúde e acreditação EDAC pelo Center for Health Design. Atua como Gerente de Estrategia na Albert Kahn Associates. Possui foco em pesquisa e inovação e sólida experiência em Arquitetura Restaurativa, acreditada LEED AP BD+C e DGNB Consultant.

Leave a Reply