This site is operated by a business or businesses owned by Informa PLC and all copyright resides with them. Informa PLC's registered office is 5 Howick Place, London SW1P 1WG. Registered in England and Wales. Number 8860726.

HOSPITALAR 2019 Já emitiu sua credencial gratuita? Clique aqui

“O sucesso das empresas será cada vez mais definido pelos dados”

By 6 de novembro de 2014 TI e Inovação

O que o líder de uma empresa que fatura US$ 150 bilhões por ano pensa sobre os negócios, a tecnologia e o papel do CIO. Se alguém está tentando lhe vender a ideia de que o papel do CIO, da organização de TI ou dos profissionais de tecnologia não são relevantes, é importante ser confrontado pela visão do CEO da GE, Jeffrey Immelt.

O portal InformationWeek EUA, parceiro de conteúdo da IT Mídia, acompanhou uma conferência sobre Plataformas Inteligentes da GE, na qual Immelt falava a uma audiência formada por líderes de TI, com intuito de vender os softwares da companhia. 

Aqui estão três pontos a serem compartilhados:

1. Perspectiva econômica: encontrar seus próprios caminhos
As previsões econômicas de Immelt em uma frase: “Eu gostaria de aprender a amar o mundo em que estamos hoje, porque vamos viver nele por algum tempo.” Esse mundo é caracterizado pelo crescimento econômico relativamente lento a nível mundial, com uma tonelada de volatilidade.

Os EUA estão em sua melhor forma desde a crise financeira, disse ele. A China está crescendo, mas as oportunidades existem: “uma história micro versus uma macro”. Países com foco em recursos naturais ainda estão investindo, e há regiões de alto crescimento em todo o mundo, mas a Europa e o Japão ainda estão lentos.

No geral, as empresas devem “fazer o seu próprio crescimento e controlar os riscos”, mas há inúmeras oportunidades para quem consegue fazer isso, afirmou.

2. O papel do CIO: ensine os líderes empresariais a amar analytics
“Todos os nossos líderes estão se tornando o mais especialista possível em analytics”, comentou Immelt.

Ele descreveu o papel central do CIO na obtenção de líderes de negócio para ampliar a aplicação de analytics, mas também a necessidade das empresas trazerem novos conhecimentos tecnológicos.
“Em muitos casos, isso tem que ser liderado pelo CIO, mas também por pessoas de dentro e fora da sua companhia. Nós fizemos isso. Trouxemos pessoas de outras empresas, como Oracle e Cisco, para a GE porque sabemos que não conseguiríamos chegar sozinhos aonde queríamos. A transformação cultural e a transformação dos talentos da sua empresa são pontos completamente críticos”, pontuou.

Duas outras observações compartilhadas pelo executivo sobre o papel do CIO da GE chamaram atenção. Ele está incentivando os próprios CIOs a adotarem uma abordagem dentro de “uma maior padronização em nome da flexibilidade”, usando o exemplo de redução de 600 ERPs para 34 na GE (o interessante é que um CEO sabe desses números).

Além disso, Immelt tem hoje um CIO na liderança do que a GE chama de “fábrica do futuro”, iniciativa que envolve maior automatização, novas técnicas de fabricação e uma rede de equipamentos de produção repleta de sensores para que os gestores possam analisar melhor suas operações e evitem falhas.

3. Três grandes apostas estratégicas da GE
“Para que sejamos bem-sucedidos, temos que investir em grandes temas”, destacou Immelt.

A primeira grande aposta da GE está em uma “transição energética”, impulsionada particularmente pelo “boom” do gás natural na América do Norte e no mundo.

A segunda aposta é a manufatura avançada: “Nós pensamos que a natureza da fabricação está mudando dramaticamente”, observou. Ferramentas de automação melhoradas, impressão 3D, novos materiais e a importância crescente de dados analíticos que vêm do chão de fábrica e da cadeia de suprimentos significam que produzir coisas está cada vez mais dependente de TI.

A terceira é a Internet Industrial, termo utilizado pela GE para a aplicação da Internet das Coisas em sua engrenagem industrial, equipamentos médicos e eletrodomésticos.

O foco de Immelt está nas indústrias para as quais a GE vende seus produtos, mas a demanda por decisões comerciais orientadas por dados vale para qualquer indústria, seja varejo, biotecnologia, hospedagem, mídia, e por aí vai. O discurso do líder da GE pode ser um discurso de vendas, mas serve para empresas pensarem sobre os investimentos em TI a partir dessa perspectiva: “Acredito que quem usar esses dados da melhor forma é o que vai determinar, cada vez mais, quem será bem-sucedido no século 21”.

Fonte: InformationWeek EUA | Chris Murphy; replicado pelo IT Forum 365 
Portal Saúde Business

About Portal Saúde Business

Formar e informar o executivo de saúde é o que fazemos todos os dias. Há mais de 15 anos desenvolvendo um conteúdo proprietário e centrado nos principais gestores do país, acompanhamos as notícias e tendências que impactarão no dia-a-dia dos hospitais, operadoras, centros diagnósticos, farmacêuticas e clínicas do país.

Leave a Reply