🚀 HIS18 Já conferiu os primeiros palestrantes do HIS? Já são mais de 15! CLIQUE AQUI

Seu Plano de Cuidados está funcionando?

Publicidade

Uma
das perguntas que devemos nos fazer no dia a dia de nossa prestação de cuidados
aos pacientes é se, de fato, o plano de cuidados definido está funcionando.
Como o próprio nome diz, trata-se de articular um conjunto de ações,
estabelecidos como um plano para alcançar um objetivo de melhoria ou
recuperação do estado de saúde do paciente. Uma pergunta simples: como os
profissionais medem a efetividade desses planos de cuidados?

Um
novo requisito que foi incluído na quinta e última edição do Manual Internacional
de Padrões para Acreditação de Hospitais, da Joint Commission International
(JCI), aborda a necessidade da mensuração do plano de cuidados, no capítulo que
trata do Cuidado ao Paciente (Care of Patient – COP). Os propósitos do padrão
específico COP.2.1 diz: “O plano de cuidados descreve os cuidados e o
tratamento a serem prestados a um paciente individual. O plano de cuidados identifica
um conjunto de ações que a equipe de cuidados implementa, que permita resolver
ou apoiar o diagnóstico identificado através da avaliação. A meta geral de um
plano de cuidados é alcançar resultados clínicos ideais”. Sendo assim, o plano
de cuidados deve atender a três elementos mínimos em sua composição: Problemas,
Condutas e Metas Mensuráveis.

O
requisito do padrão introduz a lógica de se definir e registrar, no plano de
cuidado, um conjunto de metas mensuráveis, que passariam a indicar a real
efetividade do plano. “As metas mensuráveis podem ser selecionadas pelo médico
responsável em colaboração com o enfermeiro e outros profissionais de saúde. As
metas mensuráveis são objetivos observáveis e alcançáveis relacionados aos
cuidados e resultados clínicos esperados do paciente. Elas devem ser realistas,
específicas para o paciente e com prazos para proporcionar um meio de mensurar
o progresso e os resultados relativos ao plano de cuidados”. Cita também
exemplos do que considerar como metas mensuráveis, as quais incluem as
seguintes:

• O paciente retoma e mantém
um débito cardíaco adequado conforme indicado pela frequência cardíaca, ritmo e
pressão sanguínea dentro dos limites normais.

• O paciente demonstra ser
capaz de realizar uma autoadministração apropriada de injeções de insulina
antes de receber alta do hospital.

• O paciente é capaz de
andar de sua cama até a sala de visitas, de forma correta, colocando o peso, conforme
tolerado, sobre a perna operada.

Uma das questões centrais
para o sucesso na implementação do plano de cuidados é a garantia de que o
mesmo seja definido para pacientes que apresentam múltiplas ou diversas
necessidades e que se busque atender individualidades para cada paciente.

O
prazo definido para a elaboração do plano também ganha importância em função do
atendimento às necessidades mais imediatas do paciente, como em situações de
pós-operatório. Outra condicionante de sucesso é a natureza multidisciplinar,
resguardando-se a lógica de integração e coordenação entre os profissionais que
participam da assistência prestada ao paciente. Os requisitos dos padrões definem:
“O processo de planejamento é colaborativo e utiliza os dados da avaliação
inicial e de reavaliações periódicas realizadas por médicos, enfermeiros e
outros profissionais de saúde para identificar e priorizar os tratamentos, procedimentos,
cuidados de enfermagem e outros cuidados para atender às necessidades do
paciente. O paciente e sua família estão envolvidos no processo de planejamento
com a equipe de cuidados. O plano de cuidados é elaborado em até 24 horas após
a internação de um paciente. Com base na reavaliação do paciente executada
pelos profissionais da equipe de cuidados do paciente, o plano de cuidados é
atualizado conforme apropriado para refletir a evolução da condição do
paciente. O plano de cuidados é documentado no prontuário do paciente”.

Por
fim, os padrões definem que um membro da equipe e, nesse caso específico faz
uma menção ao médico, deve ser o responsável diário pela revisão e garantia de
que o plano esteja sendo efetivamente implementado, segundo as metas
mensuráveis definidas pela equipe, o qual deve ser integralmente registrado no
prontuário.

Portanto,
procurem diariamente verificar se sua pergunta pode ser devidamente respondida:
o plano de cuidados está fazendo bem ao paciente?

       
Publicidade

Deixe uma resposta