This site is operated by a business or businesses owned by Informa PLC and all copyright resides with them. Informa PLC's registered office is 5 Howick Place, London SW1P 1WG. Registered in England and Wales. Number 8860726.

PROADI-SUS leva Programa de Cuidados Paliativos para o Sistema Único de Saúde

By 1 de outubro de 2020 Saúde Pública

Iniciativa visa impulsionar a organização e desenvolvimento dos Cuidados Paliativos no Brasil e qualificar e desenvolver os profissionais do SUS com competências visando a qualidade no cuidado

O cuidado paliativo é uma abordagem que busca oferecer qualidade de vida para pacientes com doenças ameaçadoras da vida e seus familiares. Esse tipo de cuidado é focado no paciente e não apenas em sua doença, e trabalha aspectos físicos, emocionais, sociais e espirituais de cada um. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a cada ano, cerca de 40 milhões de pessoas tem necessidade de cuidados paliativos, mas apenas 14% recebem essa assistencia.

Mesmo com diversas evidências no âmbito científico, fortes impactos socioeconômicos e recomendações da OMS, o Brasil ainda se encontra em 42º no ranking mundial de qualidade de morte. Para contribuir com a qualidade de vida de pacientes do Sistema Único de Saúde, o Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (PROADI-SUS), desenvolvido para colaborar com o fortalecimento do SUS está inserindo e integrando a prática de cuidados paliativos em toda a rede de atenção à saúde (RAS) – atenção básica, cuidados ambulatoriais, domiciliares e hospitalares. Este projeto conta com apoio do CONASS (Conselho Nacional de Secretários de Saúde) e do Ministério da Saúde.

O projeto, iniciado em março de 2020, está sendo desenvolvido em duas regiões do país:

• Em São Paulo o projeto acontece no Hospital Estadual de Sapopemba, no ambulatório de especialidades de Sapopemba e no serviço de atendimento domiciliar da região (EMAD Teotônio Vilela).

• Em Brasília o mesmo ocorre com o Hospital Regional de Ceilândia, o ambulatório de especialidades Policlínica 2 e o serviço de atendimento domiciliar da região (NRAD Ceilândia).

Na primeira fase deste projeto aplica-se uma ferramenta de diagnóstico, desenvolvida pela equipe do projeto do Hospital Sírio-Libanês, para mapear o que já é realizado na área de cuidados paliativos dentro dos serviços de saúde participantes, como conta a Coordenadora do projeto, Dra. Maria Perez. “Com a ferramenta diagnóstica, avaliamos o que já existe em termos de protocolos, quais as medicações para manejo de sintomas disponíveis, qual a formação em cuidados paliativos das equipes e também perfil epidemiológico dos serviços do SUS que participam do projeto. Isso é essencial para criarmos planos de ação direcionados e que levem em conta as especificidades de cada serviço”.

Um importante eixo de trabalho deste projeto é capacitação das equipes de saúde atuantes nos serviços do SUS beneficiados. Visando desenvolver os Cuidados Paliativos gerais na RAS, o projeto utiliza o curso EAD de “Cuidados Paliativos para não paliativistas” para equipe médica e multiprofissional elaborado pelo Hospital Sírio-Libanês. Além disso, são realizados workshops teórico-práticos abordando temas como manejo de sintomas, comunicação empática, planejamento avançado de cuidados, entre outros. Com o desenvolvimento dos Cuidados Paliativos no SUS almeja-se que as equipes ofereçam uma assistência de maior qualidade e que ocorra um maior compartilhamento de decisões com o paciente e sua família, de forma a oferecer um cuidado centrado no paciente e uma otimização da alocação de recursos no SUS.

O Dr. Daniel Neves Forte, gerente médico de humanização e patrocinador técnico do projeto, reforça a importância da qualificação dos profissionais para o SUS. “A essência desse projeto é apoiar o SUS a fazer um bom cuidado paliativo, simples e eficaz. Para isso, os profissionais serão capacitados em Cuidados Paliativos gerais, apoiados por fluxos e protocolos clínicos desenvolvidos dentro da cultura do hospital, com mensuração do impacto dessas práticas”.

Outra importante contribuição deste projeto foi o desenvolvimento de um Manual de Cuidados Paliativos que traz dados atualizados da literatura internacional de forma prática, visando facilitar o acesso dos profissionais de saúde ao conhecimento nesta área. O Manual, elaborado com o apoio do Ministério da Saúde e do CONASS, foi lançado no site, onde está disponível para download.

Ações de apoio na pandemia

Com o advento da pandemia de Covid-19, o Ministério da Saúde solicitou ao Hospital Sírio-Libanês apoio no desenvolvimento de iniciativas para fornecer suporte ao SUS. Entre elas estão as iniciativas de Tele-UTI e Conectando Vidas. Além disso, foram elaborados capítulos do Manual de Cuidados Paliativos com foco no manejo de sintomas, as particularidades da comunicação e do luto no contexto de Covid-19.

Tele-UTI COVID-19

Nesta iniciativa são realizadas videoconferências entre médicos do Hospital Sírio-Libanês e equipes médicas dos hospitais SUS de referência em COVID-19 para discussão de casos, alinhamento de manejo dos pacientes e suporte à equipe médica local, com o objetivo de diminuir o tempo de permanência, aumentar o giro dos leitos e ampliar o acesso a UTI.

Conectando Vidas – Comunicação em tempos de COVID-19
Esta iniciativa visa otimizar a comunicação entre equipes médicas, familiares e pacientes em distanciamento social, através de chamadas de vídeo, como explica Carina Tischler Pires, gerente do projeto. “Vamos implementar fluxos, orientações e dispositivos de comunicação em hospitais de referência para o tratamento de COVID-19 e que fazem parte do projeto, viabilizando o contato virtual entre paciente-família e equipe de saúde-família, o que pode ajudar a reduzir impactos de ansiedade, luto complicado, depressão e síndrome de stress pós-traumático”.
Portal Saúde Business

About Portal Saúde Business

Formar e informar o executivo de saúde é o que fazemos todos os dias. Há mais de 15 anos desenvolvendo um conteúdo proprietário e centrado nos principais gestores do país, acompanhamos as notícias e tendências que impactarão no dia-a-dia dos hospitais, operadoras, centros diagnósticos, farmacêuticas e clínicas do país.