This site is operated by a business or businesses owned by Informa PLC and all copyright resides with them. Informa PLC's registered office is 5 Howick Place, London SW1P 1WG. Registered in England and Wales. Number 8860726.

Mais de 90% se curam na atenção primária, diz especialista

By 24 de agosto de 2020 Saúde Pública

Integrar, coordenar e organizar os sistemas de atenção à saúde, que hoje se encontram fragmentados, é a saída para um sistema de saúde mais eficiente, segundo palestra de abertura do 11º Seminário UNIDAS – Atenção Integral à Saúde. A palestra foi ministrada pelo consultor em saúde pública, Eugênio Vilaça, que ressaltou a necessidade de se ter um sistema de atenção primária resolutiva. “Na média, mais de 90% das pessoas conseguem se curar dentro do sistema de atenção primária”, afirmou.

De acordo com Vilaça, a organização dessas redes poderia ter ajudado, por exemplo, no combate a pandemia do coronavírus. “A pandemia foi anunciada, a gente sabia que ela chegaria. A rede tem um centro de inteligência de atenção primária à saúde que conhece a sua população. Ela tem essa característica. É possível estratificar a população de risco e fazer o monitoramento a partir da atenção primária juntamente com o sistema de teleassistência, por exemplo. A rede faria uma enorme diferença nisso”, explicou o especialista.

De acordo com o consultor, é essencial sairmos de um sistema fragmentado, organizado por componentes isolados, níveis hierárquicos, voltado para indivíduos, com ações reativas e curativas e sem coordenação para um sistema contínuo de atenção, com foco na população, ações proativas e voltado para Atenção Integral à Saúde. A construção desse sistema depende de uma agenda de inovação: “Essa agenda implica em mudanças coordenadas e concomitantes nos três componentes do sistema de atenção: o modelo de gestão, de atenção à saúde e de financiamento”.

Para finalizar, Vilaça também falou sobre os desafios do modelo de financiamento e a necessidade de sair de um modelo de pagamento por volume de recursos (fee-for-service) para um sistema de pagamento baseado no valor para as pessoas (feer-for-value). “Como alternativa para substituir esse modelo, nós podemos trabalhar com pagamento por procedimento, por performance, por pacote ou episódio ou por capitação, por exemplo”.
Portal Saúde Business

About Portal Saúde Business

Formar e informar o executivo de saúde é o que fazemos todos os dias. Há mais de 15 anos desenvolvendo um conteúdo proprietário e centrado nos principais gestores do país, acompanhamos as notícias e tendências que impactarão no dia-a-dia dos hospitais, operadoras, centros diagnósticos, farmacêuticas e clínicas do país.