This site is operated by a business or businesses owned by Informa PLC and all copyright resides with them. Informa PLC's registered office is 5 Howick Place, London SW1P 1WG. Registered in England and Wales. Number 8860726.

Cidades e UFs onde Cresceram os Postos de Trabalho na Área da Saúde em 2019

By 30 de março de 2020 Colunas, Profissionais

Rankings das Cidades que Mais Evoluíram na Geração de Empregos na Saúde no Brasil

Fonte: Geografia Econômica da Saúde no Brasil

Saúde é uma atividade extremamente dependente da mão-de-obra, por várias razões … sendo as principais:

·         As pessoas não gostam de tratamento impessoal quando se trata de cuidado assistencial – a tecnologia só é bem vinda para substituir algo que feito manualmente pode ocasionar dano;

·         Não existe tecnologia para a maioria absoluta dos procedimentos assistenciais;

·         E o cuidado assistencial é multidisciplinar … envolve conhecimento e técnica que necessita de médicos, enfermagem, fisio, fono, nutricionista, e uma infinidade de tipos de profissionais permeando o ambiente.

Uma das maneiras de medir o esforço dos governantes na saúde pública, e o investimento na saúde suplementar, é medir a evolução da quantidade de novos postos de trabalho … explicando:

·         Medir simplesmente a quantidade não é uma boa técnica:

o   No Brasil a Cidade de São Paulo representa sozinha 6 % da população nacional;

o   Evidentemente em números absolutos se comparar a evolução de São Paulo com qualquer outro município o valor é maior, mas isso não significa que evolui mais que todas as outras;

o   Se houve aumento de 10.000 postos de trabalho em São Paulo significa apenas 0,08 % da população, mas em uma Cidade com 50.000 habitantes significa 20 % da população;

·         Comparar o número de vagas com a população também não é uma boa técnica, porque privilegia municípios muito pequenos – um aumento de algumas dezenas de vagas pode significar muito em uma cidade com 5.000 habitantes.

Então, para comparar a evolução nas cidades neste ranking utilizamos a evolução relativa:

·         Quanto aumentou percentualmente ao longo dos anos ?

E para não distorcer muito o resultado, somente dos municípios com mais de 50.000 habitantes:

·         Ao fazer isso, dos 5.570 municípios, nos limitamos a analisar 673:

o   Ou seja, apenas 12,1 % do total de cidades;

o   Mas não se engane, estes 673 municípios somam 144.648.744 habitantes

§  Ou seja 68,9 % da população do Brasil !

Para medir a evolução nas unidades federativas evidentemente não necessitamos excluir cidades pequenas … considerando todos os municípios, e a evolução entre 2017 e 2019, construímos o seguinte quadro:

A coluna Geral mede a evolução somando todos os postos de trabalho (profissões nativas da área da saúde, e profissões não nativas da área da saúde):

·         Dentro dela a coluna Tot soma postos do SUS e da Saúde Suplementar, a coluna SUS só SUS, e a coluna SS só Saúde Suplementar;

·         Neste ranking:

o   Considerando todos os postos de trabalho, o Amapá teve aumento relativo superior ao demais com 34,4 % de evolução, e Roraima o menor (6,6 %);

o   Considerando somente SUS, Amapá o maior (34,6 %) e Rio de Janeiro o menor (4,4 %) – a crise na saúde pública no Rio nos últimos anos é muito maior do que a maioria das pessoas imagina;

o   Considerando somente Saúde Suplementar, Mato Grosso é o maior (33,1 %) e em Roraima o menor, onde inclusive houve retração (-3,3 %)

As outras colunas medem a evolução de forma similar:

·         A coluna Saúde, tabula somente postos de trabalho das profissões nativas da área da saúde;

·         As colunas Médicos e Enfermagem, tabulam somente postos de trabalho dos 2 maiores Grupos de Famílias CBO definidos no Estudo Geografia Econômica da Saúde no Brasil – Edição 2020.

Os números demonstram que no Amapá houve avanço significativo nos últimos anos, embora o indicador carregue um pouco de viés em relação à população. Em uma visão geral também chamam a atenção:

·         O Distrito Federal, pressionado pelas cidades do entorno subordinadas ao Estado de Goiás;

·         E o Amazonas … em relação a ele:

o   O Estado demonstrou nos últimos anos uma grande tendência de desconcentração em relação à capital (Manaus)

o   No ranking por municípios é possível observar que Manaus é apenas o 4º do Estado.

Utilizando a mesma técnica, aplicamos o critério de selecionar apenas os municípios com mais de 50.000 habitantes para construir o ranking:

·         Consideramos somente os municípios que tiveram evolução Geral Total positiva;

·         E classificamos pelo indicador, dentro da unidade federativa, podendo ser avaliado o ranking por UF.

A lista completa está no Anexo A2 do Estudo Geografia Econômica da Saúde no Brasil – Edição 2020 – aqui um quadro resumo com os 2 primeiros colocados no ranking por unidade federativa: