150 palestrantes, 8 congressos 📣 Já emitiu sua credencial para participar do HIS18? Estamos no último lote! Saiba mais →

Tecnologia permite o monitoramento de diálise domiciliar no Brasil

Publicidade

Parceria entre Vodafone Brasil e Baxter possibilita que o paciente realize o tratamento em casa e seja acompanhado a distância

Dados do Ministério da Saúde estimam que atualmente cerca de 100 mil pacientes renais crônicos precisam de tratamento de Terapia Renal Substitutiva no país, e de acordo com o Censo 2017 da Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN), a cada ano cerca de 35 mil novos pacientes entram no programa. Considerando a gravidade da doença e as peculiaridades do país com suas dimensões continentais, a tecnologia pode oferecer mais conforto e facilitar a vida das pessoas que precisam realizar este tratamento.

Com 60 anos de tradição em saúde renal, a Baxter optou por utilizar a conectividade da Vodafone – líder mundial em Internet das Coisas (IoT) e Machine-to-machine (M2M), representada no Brasil pelo Grupo Datora – e no ano passado lançou no país um aparelho equipado que permite o acompanhamento médico da diálise peritoneal domiciliar (DP, sigla em português) à distância.

O sistema de gestão remota de pacientes consiste em uma plataforma de tecnologia bidirecional em nuvem que permite aos profissionais de saúde visualizar com segurança os dados de tratamento relativos à diálise. Além disso, possibilita agir sobre essas informações coletadas ajustando, de forma remota e segura, as configurações dos dispositivos domésticos. Essa facilidade oferece mais conforto aos pacientes, que não precisam se deslocar frequentemente até uma clínica ou hospital.

“O objetivo é aumentar mais a confiança de médicos e pacientes na diálise peritoneal, proporcionando mais conforto ao garantir que as pessoas sejam tratadas sem sair de casa”, explica o líder da área médica da Baxter no Brasil, Dr. Ricardo Cunegundes. O sistema criado em parceria com a Vodafone fornece à equipe de saúde do paciente uma melhor visibilidade dos seus tratamentos, monitoramento de maneira proativa, de modo a abordar quaisquer problemas potenciais.

Diferencial

No Brasil nenhuma operadora de telefonia cobre 100% do território, diante disso, a opção foi a escolha do chip Vodafone M2M, que oferece uma maior segurança ao nosso negócio. Por ter cobertura internacional, com mais de 400 operadoras parceiras, é possível inclusive que o paciente viaje sem a necessidade de interromper o tratamento. Desta forma, não importa onde o paciente esteja, ele vai estar sempre conectado e os médicos terão acesso às suas informações de forma instantânea.

       
Publicidade

Deixe uma resposta