🚀 HIS18 Já conferiu os primeiros palestrantes do HIS? Já são mais de 15! CLIQUE AQUI

Pollux apresenta conceitos de indústria 4.0

Publicidade

Com cases nos maiores laboratórios farmacêuticos do País, a empresa já oferece soluções de rastreabilidade que atendem à norma da Anvisa para o controle de medicamentos, aplicação de robôs colaborativos, robôs móveis, software industrial e sistemas de visão

A FCE Pharma – Exposição Internacional de Tecnologia para a Indústria Farmacêutica – promove na capital paulista sua 23ª edição, entre os dias 22 a 24 de maio, no São Paulo Expo. A Pollux, empresa de tecnologia industrial, marcará presença no evento para discutir as tendências e inovações tecnológicas para o setor.

A empresa é pioneira no conceito de indústria 4.0 e oferece alta tecnologia para a gestão de fábricas digitais por meio de um conjunto de soluções que associam o uso de tecnologias contidas na Internet Industrial (IIOT), como softwares, sensores, robótica colaborativa e análise de dados avançada com as melhores práticas de gestão.

Para a indústria farmacêutica, a empresa irá apresentar na FCE Pharma conceitos de robótica 4.0 e soluções para serialização e rastreabilidade de medicamentos para agregação de cartuchos serializados na caixa de embarque. “Nossas soluções já estão rodando nos principais laboratórios do País e estamos prontos para atender às normas do Sistema Nacional de Controle de Medicamentos, como a RDC 157 da Anvisa”, afirma diretor de negócios da Pollux Digital, Ricardo Gonçalves.

A Pollux levará, ainda, uma aplicação para a indústria farmacêutica com robôs colaborativos. “Desenvolvemos o modelo de negócios de robô como serviço, ou seja, o empresário pode optar pela locação de robôs para exercer funções repetitivas em linhas de produção, reduzindo problemas de ergonomia – e isso com um investimento bem menor do que se optasse pela compra de um robô, por exemplo”, comenta o executivo.

Outra tecnologia inédita e inovadora que a empresa apresentará nesta edição é o robô móvel, AMR – Autonomous Mobile Robots. Dispensando o uso de trilhos ou fitas magnéticas, o modelo da Pollux, que faz parte da nova geração de veículos autoguiados, é controlado diretamente de smartphonetablet ou computador e pode ter sua rota modificada sempre que preciso. A companhia desenvolveu uma solução completa para abastecimento automático de linhas de produção. Com sensorização da linha e integração com o software industrial, o robô móvel sabe exatamente que operação ele precisa abastecer e, automaticamente, realiza essa missão.

Robô móvel disponível no modelo de locação

Este modelo de robô móvel pode ser conectado com robôs colaborativos e outros equipamentos que monitoram a produção de uma fábrica. Em caso de obstáculos ou obstrução de passagem, ele consegue oferecer rotas alternativas através de seus sensores, diferentemente dos veículos autoguiados tradicionais. Também disponibiliza uma rede interna, facilitando o seu monitoramento e controle, que utilizam rotas pré-definidas, como identificação no solo, adesivos e outros, e também empilhadeiras para o transporte de recursos em uma operação fabril. O robô móvel ainda possui autonomia de bateria de até 10 horas ou 20 km.

Ambos os robôs são disponibilizados no modelo de locação e podem ser monitorados através de sistema remoto por rede wi-fi ou 3G, o que permite alterar a funcionalidade durante o serviço, e substituem os robôs tradicionais que precisam de enclausuramento. A área ocupada pelo robô é menor comparada com outros equipamentos tradicionais e atendem aos mais diversos mercados, como farmacêutico, bens de consumo, automotivo, logística, indústria metal mecânica, linha branca, entre outros de diferente tamanhos e segmentos. A Pollux já instalou mais de 200 robôs colaborativos em indústrias no País.

Robô colaborativo no modelo de locação (Raas)

Com 21 anos de experiência e forte atuação nas principais indústrias brasileiras, sobretudo no setor farmacêutico, a Pollux reúne sólidos conhecimentos sobre as constantes regulamentações, processos criteriosos e as práticas inerentes da indústria farmacêutica, tais como “Boas Práticas de Fabricação (GMPs)” e “Protocolos de Validação e Regulamentações da ANVISA e do FDA (CFR 21 Part 11)”.

A Pollux possui cases relevantes na indústria farmacêutica com soluções tecnológicas para serialização e rastreabilidade; robô colaborativo para paletização e packing; internet industrial, visão para inspeção de blister, controle de nível de envase e verificação de rotulagem; encaixotamento e manipulação; leitura OCR de lote e validade.

“Estamos presentes em grandes laboratórios farmacêuticos com nossas soluções completas de rastreabilidade de medicamentos para atendimento da RDC 54, RDC 157 e da Lei 11903, com aplicação de robôs colaborativos para aumentar o grau de automação e projetos de Internet Industrial com plataformas de IoT”, finaliza Gonçalves.

       
Publicidade

Deixe uma resposta