✉️ NEWSLETTER Assine gratuitamente e atualize-se semanalmente Assinar

Medicina diagnóstica é aliada da longevidade

Publicidade

Medicina Nuclear detecta prematuramente doenças cardíacas, câncer e doenças neurológicas, aumentando a qualidade e o tempo de vida dos pacientes.

A longevidade dos brasileiros aumentou significativamente nos últimos anos, com a expectativa de vida em 75 anos, segundo dados da Tábua de Mortalidade de 2016 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Ainda de acordo com o órgão, o avanço da escolaridade, do sistema de saúde e das redes de saneamento básico foram fundamentais para elevar a esperança de vida do brasileiro.

Entre os avanços da saúde, destaca-se a Medicina Nuclear que detecta prematuramente doenças cardíacas, câncer e doenças neurológicas, aumentando a qualidade e o tempo de vida dos pacientes. A especialidade conta com medicamentos e equipamentos com alta tecnologia, que permitem melhor precisão no diagnóstico e tratamento dessas doenças. Estima-se que dois milhões de pessoas se submetam anualmente a procedimentos de medicina nuclear no Brasil, de acordo com estudo do Planejamento Institucional da Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN -2015).

Além do ambiente hospitalar, a especialidade também é encontrada em clínicas médicas especializadas. Um exemplo é a DIMEN (www.dimen.com.br) – referência em medicina nuclear no país, com mais de 36 anos de atuação. “A Medicina Nuclear analisa o funcionamento das células e é capaz de determinar o grau e extensão da doença, facilitando o tratamento”, explica o médico nuclear e vice-presidente da Sociedade Brasileira de Medicina Nuclear, George Barberio Coura Filho – responsável clínico da Dimen SP.

Medicina Nuclear

Ainda pouco conhecida pelos brasileiros, a especialidade analisa a anatomia dos órgãos e também seu funcionamento em tempo real, permitindo diagnósticos e tratamentos mais precoces e precisos. A prática atua na detecção de alterações das funções do organismo acometidos por cânceres, doenças do coração e problemas neurológicos, entre outros.

A medicina nuclear conta com exames de alta tecnologia, como o PET/CT, que é capaz de realizar um mapeamento metabólico do corpo e captar imagens anatômicas de altíssima resolução, com reconstrução tridimensional, localizando com exatidão nódulos, lesões tumorais e inúmeras outras condições clínicas. O SPECT/CT é a tecnologia de diagnóstico mais rápida, precisa e com menos radiação, que permite melhor localização anatômica dos achados de cintilografia, permitindo um procedimento mais preciso e menos invasivo.

       
Publicidade

Deixe uma resposta