🚀 HIS18 Já conferiu os primeiros palestrantes do HIS? Já são mais de 15! CLIQUE AQUI

Lavagem de dinheiro na Fundação Butantã

Publicidade

Uma investigação realizada pelo Ministério Público apontou que pelo menos R$ 30 milhões foram desviados da Fundação Butantã por funcionários nos últimos três anos. O resultado da ação do MP resultou no afastamento do presidente e da superintendente da fundação, Isaias Raw e Hisako Gondo Higashi, respectivamente. O resultado da investigação também conclui que o esquema teria a participação de funcionários do segundo e terceiro escalões.
Erney Plessmann de Camargo foi nomeado o presidente interino da fundação e a superintendência ocupada pelo pesquisador da USP Hernan Chaimovich. O MP ressalta que os funcionários acusados de envolvimento na operação devem responder a processos civis e criminais por crime contra a ordem tributária, lavagem de dinheiro e desvio de verba. Segundo o Ministério Público, o ex-gerente financeiro da Fundação Butantã, Adalberto da Silva Bezerra, é o principal suspeito de coordenar o esquema.
A suspeita do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) de que R$ 2,6 milhões teriam sido pago por serviços prestados a uma microempresa chamada Sunstec alertou o Ministério Público ao dar início a investigação.
Comunicado
Por meio de uma nota oficial, a Fundação Butantã confirmou Erney Plessmann de Camargo como presidente interino. E ainda, segundo a fundação, tal alteração não representará quaisquer problemas na continuidade do trabalho realizado pela instituição na área de produção de imunobiológicos.
A Fundação está à inteira disposição do Ministério Público Estadual para esclarecimentos que se façam necessários acerca da gestão financeira da instituição.
Você tem Twitter? Então, siga http://twitter.com/SB_Web e fique por dentro das principais notícias do setor.
 

       
Publicidade

Deixe uma resposta