150 palestrantes, 8 congressos 📣 Já emitiu sua credencial para participar do HIS18? Estamos no último lote! Saiba mais →

Hospital Placi adota projeto de terapia com animais para suporte ao tratamento dos pacientes

Publicidade

O Hospital Placi, com duas unidades no Rio de Janeiro (Botafogo e Niterói), iniciou neste ano o uso da cinoterapia para suporte ao tratamento de pacientes com dificuldades motoras ou neurológicas. E a próxima edição do inovador projeto, que é mensal e conta com o apoio de profissionais que integram a equipe interdisciplinar do Placi, acontecerá neste sábado, 22/06, no solário do hospital, em Botafogo.

Além de receberem a visita do cão cinoterapeuta oficial da unidade, o Golden Retriever Logan, pacientes aptos a sair dos quartos poderão interagir com pets levados por familiares, sendo assim estimulados a trabalhar habilidades como coordenação motora fina, percepção e concentração. “A atividade visa dar suporte ao desenvolvimento mental e motor dos pacientes, propiciando não apenas a socialização por meio da interação com animais, como também um processo inclusivo, conforme a necessidade de cada paciente e, ainda, atraindo a família a conhecer esse tipo de intervenção na saúde”, resume a gerente médica da unidade, Dra. Anelise Fonseca.

Para participarem da terapia com os pacientes, os cães precisam receber cuidados de higiene antes de entrar na unidade hospitalar, além de estarem com as vacinas em dia. No Placi, hospital especializado no tratamento de pacientes em reabilitação, assistência continuada e cuidados paliativos, prioridades como atividades que tragam bem-estar e o convívio familiar são estimuladas e trazem resultados.

“Possibilidades como esta, de receber visitas dos animais de estimação no hospital, de integrar parentes aos cuidados, de participar de sessões de reabilitação e terapia ocupacional, ou de desfrutar de um banho de sol no solário, por exemplo, aproximam o paciente de suas atividades diárias. Dessa forma, ele tem a oportunidade de se reinserir em seu núcleo familiar e restabelecer uma nova rotina de vida”, comenta a Dra. Anelise, reforçando a importância de se tratar o paciente com o máximo de cuidado, zelando por sua qualidade de vida.

       
Publicidade

Deixe uma resposta