✉️ NEWSLETTER Assine gratuitamente e atualize-se semanalmente Assinar

Equipamento inovador de Ressonância Magnética: redução no tempo de exame e maior conforto

Publicidade

Multi-Imagem Ressonância, laboratório referência na área, oferece o exame que identifica anormalidades cardíacas complexas, estudos funcionais de tumores e detalhamento de pequenas estruturas osteoarticulares

Para evoluir o diagnóstico e oferecer laudos de imagem cada vez mais precisos, a Multi-Imagem Ressonância de Ipanema oferece aos seus pacientes um novo equipamento: o Magnetom Skyra (Siemens). O equipamento de ressonância magnética proporciona exames mais precisos, beneficiando médicos e pacientes. O Magnetom Skyra obtém imagens em alta definição de todo o corpo e pode detalhar até pequenas estruturas anatômicas. Na prática, as imagens têm o dobro de resolução se comparadas aos exames dos melhores equipamentos existentes atualmente, o que possibilita que os médicos façam análises de anormalidades de forma mais apurada.

A ressonância magnética funciona como um ímã que faz uma ‘foto interna’ do corpo humano sem usar radiação, por meio de campos magnéticos e radiofrequência. O paciente deita em uma cama que desliza para dentro de um tubo e deve ficar parado até que o exame termine, pois pequenos movimentos interferem no resultado. Isso torna a ressonância um desafio para quem tem desconforto em permanecer em lugares apertados. Um dos diferenciais do equipamento é ter uma abertura maior para a entrada do paciente, reduzindo o desconforto.

Além disso, os exames têm, em média, 30% de redução no tempo de realização, mantendo a eficiência e a qualidade das imagens. “A ressonância magnética é um método de diagnóstico de imagem de alta relevância clínica. A performance do novo equipamento auxilia a obter diagnósticos ainda mais precisos, gerando grande eficácia ao método”, explica o médico radiologista da Multi-Imagem, Eduardo Curty. O exame é indicado para avaliação de diversas doenças neurológicas, da coluna vertebral, ortopédicas, abdominais e cardíacas, até mesmo em pacientes com limitações respiratórias como em crianças e idosos. Curty acrescenta que pacientes e médicos têm robustas imagens de diagnóstico e, sobretudo, grande conforto durante a realização dos exames.

       
Publicidade

Deixe uma resposta