150 palestrantes, 8 congressos 📣 Já emitiu sua credencial para participar do HIS18? Estamos no último lote! Saiba mais →

Desafio na gestão de saúde empresarial no país é semelhante ao dos EUA: reduzir custos

Publicidade

A exemplo do desafio enfrentado pelo mercado americano de gestão de saúde empresarial, o mercado brasileiro também está sendo pressionado por soluções mais eficientes na busca da redução dos custos de saúde para as empresas e seus colaboradores. Presente no mercado há 25 anos, o Imtep, – com sede em Curitiba e unidades em São Paulo e Rio de Janeiro – referência e líder do segmento no país, está implantando em corporações de diversos ramos de negócios um novo modelo de gestão na área. Denominado Núcleo de Atenção Primária (NAP), o programa consiste em uma abordagem estruturada e organizada dos serviços de tratamento de saúde, no qual se prioriza a prevenção das doenças por meio de orientação, acompanhamento sistêmico, diagnóstico precoce, entre outros. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), corporações que possuem programas internos de gestão de saúde reduzem em até 30% as despesas com tratamentos médicos e absenteísmo.

De acordo com Dra. Aline Pasiani, médica responsável pela metodologia científica do projeto, cerca de 85% dos problemas de saúde podem ser resolvidos por meio de um programa de atenção primária. “ Baseados neste índice da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) e em dados comprovados por outras pesquisas do mercado, propomos as empresas a implantação do conceito da medicina de família através dos atributos da atenção primária por meio da capacitação das equipes de saúde das empresas”, afirma.

Por meio deste sistema de saúde centrado no colaborador, o ambulatório passa a coordenar o cuidado de cada indivíduo, dando prioridade ao vínculo e ao acolhimento, somente encaminhando aos médicos especialistas quando necessário. Porém, para funcionar plenamente, o Núcleo de Atenção Primária (NAP) exige um planejamento estratégico devidamente estruturado e que respeite algumas etapas fundamentais para o êxito do projeto. Algumas delas consistem em implantação de protocolos estruturados, capacitação das equipes multidisciplinares, estudo de saúde da população de colaboradores, software para suporte tecnológico para integração de dados de saúde, entre outras.

Os benefícios do programa para os funcionários e para empresa são expressivos “Para se ter uma ideia, dados da Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade, apontam que este tipo de sistema similar pode trazer um índice de resolutividade de até 90%. Além disto, estima-se uma redução de 25% dos custos médios com saúde, 30% de redução no absenteísmo e 46% de redução da sinistralidade. Desta forma, o impacto financeiro do programa Núcleo de Atenção Primária será percebido diretamente na redução dos custos com saúde das empresas”, afirma Pasiani.

Imtep

Com forte presença no mercado brasileiro de gestão de saúde empresarial, o Imtep se caracteriza pela expertise em sua área de atuação e pela sua solidez financeira. Atualmente, atua em 19 estados e 71 municípios. Com a sede matriz instalada em Curitiba, conta com cinco unidades próprias de atendimento de saúde e administrativo, além de escritórios em São Paulo e Rio de janeiro.
No momento, o Imtep conta com 1.600 colaboradores, carteira de 1.500 empresas clientes, gestão da saúde de aproximadamente 500 mil vidas, 200 ambulatórios médicos gerenciados, rede de 1000 clínicas credenciadas em todo o Brasil, portfólio com mais de 50 cursos e palestras disponíveis e 28 mil pessoas treinadas na área de atendimento à saúde.
A previsão de crescimento da empresa em 2018 é de 36% em relação ao ano de 2017. E o faturamento está estimado em 168 milhões de reais.

 

       
Publicidade

Deixe uma resposta