🚀 HIS18 Já conferiu os primeiros palestrantes do HIS? Já são mais de 15! CLIQUE AQUI

BTG realizará IPO de rede de farmácias!

Publicidade

BTG prepara oferta de rede de farmácias

Ana Paula Ragazzi | De São Paulo
O BTG Pactual planeja para breve a abertura de capital de seu braço de farmácias. Hoje, esse segmento de seus negócios está estruturado em uma holding, a Brazil Pharma. Embaixo dela, estão atualmente quatro redes: Farmais, Rosário, Guararapes e Mais Econômica.

Valor apurou que a ideia do BTG é formatar uma operação semelhante àquela realizada pela Brasil Brokers e pela Brasil Insurance. A primeira reuniu diversas imobiliárias e a segunda, várias seguradoras.

Saíram para a operação divulgando balanços independentes de cada uma das empresas. E ambas só passaram a existir como uma só companhia após a conclusão da oferta pública inicial, quando passaram a consolidar os resultados de todas.

A ideia do BTG é sair com uma operação semelhante. Apresentará aos investidores as informações em separado de cada rede e, no momento da realização da oferta inicial, todas passarão a operar unidas em uma nova empresa, que poderá continuar com o nome Brazil Pharma.

Procurado, o BTG não concedeu entrevista.

As aquisições do banco no setor de farmácias começaram em setembro de 2009. Os valores envolvidos em cada operação não foram divulgados. Na maioria dos casos, o BTG comprou posições de controle, mas não 100% das ações. O momento da oferta constitui também um evento de liquidez – no jargão do mercado financeiro -, que poderá fazer com que os antigos donos das farmácias vendam parte ou todo o restante das fatias que ainda possuem. Usando o modelo de Brasil Brokers e Brasil Insurance, o BTG poderá concretizar a operação com mais rapidez do que se optasse por consolidar todas as empresas antes. O apetite do mercado para as operações de ofertas de ações do segmento farmacêutico tem sido grande, por conta das perspectivas econômicas positivas para o país.

A primeira aquisição anunciada pelo BTG no setor foi a compra de 100% da Farmais, em setembro de 2009. A rede tem presença nacional. Naquele momento, a holding Brazil Pharma ainda não havia sido criada. Passou a existir a partir da segunda aquisição, em agosto do ano passado. O negócio envolveu a compra de 50% do Grupo Rosário Distrital, que possui 80 lojas no Distrito Federal.

Em novembro também do ano passado, a holding incorporou a Guararapes, o maior grupo do setor no Nordeste – o percentual comprado do capital não foi divulgado.

No início de fevereiro, foi anunciada a compra de 60% da gaúcha Mais Econômica.

Após mais essa transação, a Brazil Pharma passou a administrar 692 lojas em todo país e conquistou a liderança de mercado em três regiões: Nordeste, Centro-Oeste e Sul. O portfólio engloba 82 lojas Rosário; 66 da Guararapes; 392 lojas da Farmais e 152 da Mais Econômica.

O site da holding ainda não computa os dados dessa última aquisição e informa que o faturamento das outras três redes soma R$ 1,4 bilhão. As informações de mercado são de que o faturamento da Mais Econômica é de cerca de R$ 800 milhões. Assim, a receita da Brazil Pharma estaria agora próxima de R$ 2,2 bilhões.

Do total de lojas, 300 são próprias e o restante, franqueadas, concentradas na Farmais.

Quando foram realizadas, as ofertas de Brasil Brokers e Insurance foram destinadas apenas a investidores qualificados. Isso porque como a oferta de abertura de capital era a condição para a existência da empresa, o entendimento foi de que a companhia estava em fase pré-operacional. E o início de suas atividades dependia do sucesso dos objetivos e planos de sua administração, que incluía a integração de negócios e estrutura administrativa, além da distribuição inicial de ações.

No caso da Brasil Insurance, que reúne 26 corretoras de seguro, foram apresentados os balanços auditados de apenas 9 – alguns deles com ressalvas.

Fonte: Valor Econômico, 03/03/2011

Atenciosamente,

Equipe EmpreenderSaúde

       
Publicidade

Deixe uma resposta