This site is operated by a business or businesses owned by Informa PLC and all copyright resides with them. Informa PLC's registered office is 5 Howick Place, London SW1P 1WG. Registered in England and Wales. Number 8860726.

Sanar conquista mais de 5 milhões de novos visitantes em suas plataformas

By 12 de agosto de 2020 Educação, Mercado

Maior plataforma online de educação médica do país cresceu exponencialmente com a chegada da COVID-19 e, em junho, já alcançou a receita de 2019

A chegada do coronavírus no Brasil acelerou a  transformação de muitas empresas em um curto período de tempo. E com a medtech Sanar, que possui a maior plataforma online de educação médica do país, não foi diferente. Em 25 de fevereiro, o país teve o primeiro caso da doença confirmado, o que reafirmou seu propósito de transformar médicos em super médicos. Em seguida, no dia 15 de abril, a startup recebeu um aporte de R$ 60 milhões, que impulsionou ainda mais as estratégias. A partir disso, uma série de soluções foram elaboradas pela equipe. No primeiro semestre de 2020, a receita da Sanar cresceu 120%, se comparada ao mesmo período do ano passado. Este ano, a medtech já alcançou, em junho, a receita do ano inteiro de 2019.

Em março e abril, as buscas pela Sanar no Google cresceram 103%, indicando a consolidação da empresa com seus produtos que ajudam médicos a se adaptar a novas rotinas. O resultado é fruto do trabalho estratégico em diversas plataformas. O SanarMed, site de conteúdo gratuito para médicos, cresceu 600%, após a implementação de uma  sessão exclusiva ao coronavírus. Cada solução oferecida, como o “SanarFlix” e a ‘’mesada Sanar Up’’ possui um site na qual é possível acessar detalhadamente suas respectivas informações.

Somando todos eles a medtech contabiliza mais de 5 milhões de usuários. São estudantes e médicos que passaram a compreender que a tecnologia pode ser uma ferramenta poderosa para aperfeiçoamento e atualização profissional. “Nós sabíamos das necessidades de estudantes e médicos há muito tempo, mas com a chegada da pandemia, muitos profissionais passaram a entender na prática com a tecnologia pode contribuir com o setor”, conta Ubiraci Mercês, CEO da Sanar.

A medtech, também elaborou outros canais de comunicação gratuitos com informações técnicas sobre a doença como forma de contribuir no combate a doença como o aplicativo “Sanar|Med Covid-19”, e ChatBot no Telegram. Além disso, o acesso gratuito, por 60 dias, a um outro produto já comercializado antes da crise global, o app ‘’Yellowbook Pro’’, que ajuda profissionais nas prescrições médicas, com a sugestão de medicamentos para cada tipo de doença, apresentações e posologias medicamentosas. De acordo com a startup, apenas no primeiro semestre deste ano, o aplicativo cresceu 748%, o que significa mais facilidade e segurança nas tomadas de decisão de quem cuida de vidas.

Para maximizar a performance, a Sanar também aumentou o seu quadro de colaboradores. No começo do ano, 160 profissionais pertenciam ao time. Hoje, são 223 especialistas, dos mais diversos setores, que trabalham para tornar o objetivo da startup cada vez mais próximo: fazer do médico, um super médico. Recentemente, a Sanar também foi eleita pela HolonIQ, empresa australiana de consultoria especializada em educação, como uma das 100 Edtechs mais inovadoras da América Latina. Hoje, a startup já possui clientes em mais de 5.000 cidades e países como Argentina, Paraguai, Bolívia e Portugal. A expectativa é que, em quatro anos, a Sanar será a primeira empresa a estar presente em toda a jornada profissional dos médicos e outros profissionais da saúde. “Nosso objetivo é tornar a educação médica cada vez mais igualitária e acessível, empoderando o profissional da saúde e, consequentemente, impactando a vida de milhares de pessoas”, conclui Ubiraci.

Portal Saúde Business

About Portal Saúde Business

Formar e informar o executivo de saúde é o que fazemos todos os dias. Há mais de 15 anos desenvolvendo um conteúdo proprietário e centrado nos principais gestores do país, acompanhamos as notícias e tendências que impactarão no dia-a-dia dos hospitais, operadoras, centros diagnósticos, farmacêuticas e clínicas do país.