This site is operated by a business or businesses owned by Informa PLC and all copyright resides with them. Informa PLC's registered office is 5 Howick Place, London SW1P 1WG. Registered in England and Wales. Number 8860726.

Pesquisa da Febrasgo revela que mais de 90% dos profissionais de ginecologia já utilizam telemedicina

By 8 de abril de 2020 Mercado

Diante da regulamentação da telemedicina, durante o período de enfrentamento ao Covid-19, a Febrasgo (Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia) realizou pesquisa online com seus associados para aferir seus atuais entendimentos e expectativas sobre o emprego da telemedicina na realização de consultas e assistência à saúde da mulher. O levantamento abrangeu uma amostra de 340 profissionais e revelou que mais de 90% deles já realizaram algum tipo de orientação à distância (resolução de questões ou dúvidas mais simples e pontuais), sobretudo via telefone e whatsapp.

Os dados apontaram ainda que 57% possuem certificação digital – condição necessária para utilização das plataformas mais seguras para esse tipo de atendimento. Contudo, 77,15% nunca realizaram orientação médica por meio de videochamada. E 85% ainda não conhecem plataformas específicas dedicadas à telemedicina.

O presidente da Febrasgo, Dr. Agnaldo Lopes comenta que, no cenário atual da ginecologia e obstetrícia, “a telemedicina já existe, na prática. Mas ainda falta maior controle das informações fornecidas e seu devido registro em prontuário, além do uso de dispositivos mais seguros nesse atendimento”. 

A pesquisa apontou que 90% dos profissionais de ginecologia e obstetrícia entrevistados afirmam já ter realizado orientações médicas via ligação telefônica; 92% já as concederam via whatsapp, e 62% apontam que, em algum momento, enviaram orientações via e-mail. Interessante observar que a mesma adesão não ocorre em contatos por videochamada, porém 23,85% já utilizam esse tipo de recurso na comunicação com pacientes e 57% demonstra interesse em conhecer plataformas dedicadas de telemedicina disponíveis no mercado.

Os dados revelaram também que 72% dos entrevistados possuem prontuário eletrônico, o que facilitaria o registro de dados das pacientes, como informações de atendimentos clínicos, exames, consultas e retornos etc. Entretanto, o percentual daqueles que fizeram os registros das orientações foi 61,8%, fossem em todas as ocasiões ou quando continham informações muito relevantes.

Portal Saúde Business

About Portal Saúde Business

Formar e informar o executivo de saúde é o que fazemos todos os dias. Há mais de 15 anos desenvolvendo um conteúdo proprietário e centrado nos principais gestores do país, acompanhamos as notícias e tendências que impactarão no dia-a-dia dos hospitais, operadoras, centros diagnósticos, farmacêuticas e clínicas do país.