NEWSLETTER Assine gratuitamente e atualize-se semanalmente Assine

Pesquisa aponta crescimento de sobrepeso e obesidade no Brasil

Por 31 de janeiro de 2017 Mercado

Um recente relatório intitulado “Panorama da Segurança Alimentar e Nutricional na América Latina e Caribe” aponta que 58% da população dos países que compõem a América Latina e Caribe, estimada em 625 milhões de pessoas, está com sobrepeso. E a obesidade atinge 23% dessa população, cerca de 140 milhões de pessoas.

De acordo com o documento, elaborado pela FAO – Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura em conjunto com a Opas – Organização Pan-americana de Saúde, no Brasil o sobrepeso em adultos passou de 51,1%, em 2010, para 54,1% registrado em 2014. O índice de obesos subiu de 17,8% para 20% na comparação dos mesmos períodos. O relatório também aponta que 7,3% das crianças com menos de cinco anos estão acima do peso.

Para o Dr. Caetano Marchesini, Presidente da SBCBM – Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica, o resultado do estudo revela um alarmante quadro mundial. “De fato são números elevados que aumentam a cada novo estudo lançado. Os obesos desse levantamento podem ser os obesos mórbidos dos próximos estudos. O que agrava mais ainda esse cenário são as doenças relacionadas à obesidade como diabetes, hipertensão, problemas ortopédicos, apneia do sono, entre outras, que sempre terão maior incidência global”, comenta.

Nos casos de obesidade severa a cirurgia bariátrica é comprovadamente o método mais eficaz no combate ao excesso de peso e, principalmente, às doenças associadas. “Além da perda ponderal a cirurgia possibilita o controle de doenças associadas relacionadas ao peso excessivo. Isso contribui com a melhora da autoestima e consequentemente com a reinserção social dos pacientes, uma vez que, em geral, o obeso sofre muita discriminação”, acrescenta Dr. Caetano.

Números
O relatório descreve que o sobrepeso afeta mais da metade da população de todos os países da América Latina e Caribe, com exceção do Haiti, Paraguai e Nicarágua com índices de 38,5%, 48,5% e 49,4%, respectivamente. Na contramão aparecem Bahamas, México e Chile com os maiores índices de sobrepeso, sendo 69%, 64% e 63%.

Em relação à obesidade o levantamento da FAO aponta os maiores índices em países do Caribe como Bahamas (36,2%), Barbados (31,3%), Trinidad e Tobago (31,1%) e Antígua e Barbuda (30,9%).

Cirurgia Bariátrica
A cirurgia bariátrica é indicada quando o médico e o paciente se convencem que as tentativas colocadas em prática para eliminar peso por meio de tratamento clínico, como exercícios físicos, reeducação alimentar e medicamentos, não surtiram o efeito esperado.

De acordo com as orientações da Resolução n° 2.131/15, a cirurgia é liberada apenas para pacientes com IMC igual ou maior que 40kg/m² e pode ser realizada em casos de IMC entre 35kg/m² e 40kg/m², desde que o paciente tenha comorbidades como, por exemplo, diabetes e hipertensão. O IMC é calculado a partir da divisão do peso pela altura ao quadrado.

Em 2016 foram realizadas no país cerca de 100 mil cirurgias bariátricas, número 7,5% maior no comparativo com 2015 quando foram realizados aproximadamente 93,5 mil procedimentos. Deste total, menos de 10% das cirurgias foram feitas no sistema público de saúde (SUS).

 

Portal Saúde Business

Sobre Portal Saúde Business

Deixe uma resposta