This site is operated by a business or businesses owned by Informa PLC and all copyright resides with them. Informa PLC's registered office is 5 Howick Place, London SW1P 1WG. Registered in England and Wales. Number 8860726.

Os unicórnios da saúde

By 15 de janeiro de 2020 Destaques, Mercado, TI e Inovação

Startups que alcançam a avaliação de US$ 1 bi ou mais por uma agência de capital de risco são batizadas de unicórnio. Presentes no nosso dia-a-dia, Uber, Airbnb e Spotify são apenas alguns exemplos1.

Em 2013, quando o termo unicórnio surgiu, havia apenas 39 deles no mundo. Sete anos depois, já não são mais tão raros assim e a TechCrunch Unicorn Leaderboard mapeou mais de 500 até a publicação desta matéria. A complexidade do setor, a regulamentação pesada, a concorrência sem fins lucrativos e a reputação de resistência à mudança são alguns dos motivos para que apenas uma pequena parcela deste número corresponda a unicórnios no mercado de saúde2.

O Brasil foi o terceiro país com maior número de novos unicórnios em 2019, atrás apenas de EUA, China e empatado com Alemanha. E pela primeira vez uma health tech está em nossa lista: a Gympass. Em seu último aporte, a plataforma corporativa de atividades físicas captou US$ 300 mi de investimentos e conquistou este título3.

O número de unicórnios surgidos em 2019 (142 empresas) foi menor que 2018 (158) e maior que 2017 (102). O total arrecadado por eles, entretanto, foi o menor dos três últimos anos: US$ 85,1 bi em 2019 comparado com US$ 139 bi em 2018 e US$ 92,8 bi em 2017.

Das seis startups que se tornaram unicórnio e fizeram IPO em 2019, três são da saúde: 10X Genomics  (plataforma de genômica), Vir Biotechnology (reúne inovações de ponta com conhecimento e gerenciamento científicos) e Health Catalyst (plataforma tecnológica que organiza e vincula dados relacionados à saúde de diferentes sistemas e os disponibiliza para todos os usuários)4.

O site Fleximize mensura o tempo que uma startup demora para virar um unicórnio: a média é 5,5 anos.  A saúde não está entre os mais rápidos. “É um comprometimento [do investidor] de 10 a 20 anos para a área da saúde”, diz Reshma Sahoni, sócia fundadora do Seedcamp, em sua entrevista em Building unicorns in Europe (Construindo unicórnios na europa, em português) para a Harvard Business Review.

O que podemos observar é que os fundos internacionais bilionários estão cada vez mais atentos à América Latina e parece provável que rodadas grandes serão cada vez mais comuns por aqui5. Se os unicórnios vão prosperar e serão sustentáveis no longo prazo, só o tempo dirá.

Quem são e o que fazem os 10 maiores unicórnios em saúde?

Empresa – Avaliação (em bilhões de dólares) – País de origem – O que faz

  1. Samumed – ($12,0) – Estados Unidos: Usa o desenvolvimento de medicamentos com pequenas moléculas para desenvolver e experimentar novos tratamentos inovadores, incluindo um tratamento que alivia a dor em pacientes com problemas articulares, estimulando o crescimento da cartilagem.
  2. Roivant Sciences – ($7,0) – Suiça: A Roivant Sciences é uma empresa biofarmacêutica focada em concluir o desenvolvimento de candidatos promissores a medicamentos em estágio avançado.
  3. Intarcia Therapeutics – ($5,5) – Estados Unidos: A Intarcia Therapeutics desenvolve terapias para doenças que requerem tratamento crônico a longo prazo.
  4. GuaHao/ WeDoctor – ($5,5) – China: A WeDoctor está comprometida em usar a tecnologia para capacitar o atendimento médico, impulsionar a atualização do seguro médico e criar uma plataforma líder mundial em HMO (Health Maintenance Organization).
  5. United Imaging Healthcare – ($5,0) – China: A United Imaging Healthcare desenvolve e fabrica equipamentos e soluções médicas.
  6. Ginkgo BioWorks – ($4,2) – Estados Unidos: Ao projetar e imprimir o DNA, a empresa pretende criar microorganismos personalizados que tenham menores impacto ambiental e desperdício para uma variedade de indústrias, incluindo produtos farmacêuticos, medicamentos, nutrição e alimentos.
  7. Otto Bock HealthCare – ($3,5) – Alemanha: Para pessoas com mobilidade limitada, a Ottobock desenvolve aplicações de tecnologia médica e soluções de adaptação nos departamentos de próteses, órteses, soluções de mobilidade (cadeiras de rodas e auxiliares de reabilitação) e assistência médica.
  8. GRAIL – ($3,2) – Estados Unidos: A GRAIL procura desenvolver um exame de sangue que detecte o câncer precocemente.
  9. Oscar Health – ($3,2) – Estados Unidos: A Oscar Health é uma seguradora de saúde focada em melhorar a experiência do usuário. A empresa oferece aos membros medicamentos genéricos gratuitos e consultas ilimitadas de telemedicina.
  10. Tempus – ($3,1) – Estados Unidos: Tempus é uma empresa de tecnologia que construiu um sistema operacional para combater o câncer.

Pamela Paschoa

About Pamela Paschoa

Farmacêutica pela Unicamp, atuou por 8 anos como farmacêutica clínica em instituições públicas e privadas. Foi tutora e preceptora de programas de residência multidisciplinar. Hoje atua na produção de conteúdo para portal Saúde Business e na curadoria dos eventos Hospitalar, Healthcare Innovation Show e Saúde Business Fórum.