This site is operated by a business or businesses owned by Informa PLC and all copyright resides with them. Informa PLC's registered office is 5 Howick Place, London SW1P 1WG. Registered in England and Wales. Number 8860726.

⚠️ Hospital Albert Einstein, Rede D'Or, Amil, DASA, Fleury... todos no HIS. E você? Clique aqui

Onde Estão os CEOs que Tomam as Rédeas?

By 16 de julho de 2014 Mercado
Liderança em negócios em saúde

Médicos, hospitais e investidores sempre devem ter uma opinião com o mesmo valor? Ou momentos difíceis pedem decisões executivas difíceis?

O sistema de saúde americano está ”doente, e ficando mais doente”, e executivos precisam realizar ações decisivas para consertar isso, disse o guru de administração Clayton Christensen, à Forbes. O professor de Harvard, que também é autor do livro ”The Innovator’s Dilemma”, ainda completou, dizendo que os líderes de negócios em saúde têm acesso à infinitas técnicas ou ferramentas de cooperação e mudanças.

Porém, as raízes dos problemas dos negócios em saúde vão tão além, que os líderes precisam tomar as rédeas, ao invés de dar a médicos, hospitais e investidores uma opinião de mesmo valor no processo.

Christensen diz que quando não há um claro consenso sobre o que os indivíduos querem ou como conseguir, a única opção é fazer uma decisão executiva unilateral, mesmo que isso signifique deixar algumas pessoas com raiva.

Nós citamos três problemas de negócios em saúde que pedem uma postura forte de um CEO:

  1. Custos administrativos: Mais e mais gastos em negócios em saúde são para atividades administrativas improdutivas ou despesas gerais, de acordo com Christensen. ”Eles existem porque nós presumimos que qualquer hospital deveria ser capaz de fazer tudo para todos”, disse ele. Para manter esses custos baixos, ele aponta alguns exemplos como o New England Baptist Medical Center, que desenvolveu um local especializado para procedimentos específicos relacionados à problemas osteo, fazendo os mesmos procedimentos que outros provedores, com custos muito menores.
  2. Modelos de pagamento que incentivam tratamentos desnecessários: Líderes de negócios em saúde devem trabalhar para tirar os pagadores das taxas por serviço, e levá-los para modelos como pagamentos em pacotes ou capitação total, na qual os segurados pagam os provedores uma quantidade por pessoa inscrita, de acordo com Christensen.
  3. Promover estilos de vida saudáveis entre funcionários: Líderes de negócios em saúde erroneamente presumem que seus funcionários já possuem um cavalo na corrida, disse Christensen, e problemas de saúde de empregados são partes da razão pela qual muitos funcionários tentam se remover do sistema de pagar os custos de saúde totalmente. A solução de Christensen é incentivar exercícios, controle de peso e exames preventivos para empregados, como os esforços do El Camino Hospital de usar gamificação e compartilhamento social para melhorar a saúde dos funcionários.

Texto traduzido e adaptado de: Fierce Healthcare

Camila Alves

About Camila Alves

Leave a Reply