This site is operated by a business or businesses owned by Informa PLC and all copyright resides with them. Informa PLC's registered office is 5 Howick Place, London SW1P 1WG. Registered in England and Wales. Number 8860726.

Como os fundos de private equity agregam valor à Saúde?

By 19 de janeiro de 2016 Empreendedorismo, Gestão, Mercado

A partir da permissão da entrada de capital estrangeiro na Saúde, desde o início do ano passado, tanto as instituições brasileiras do setor quanto os potenciais investidores ainda estão compreendendo as oportunidades e desafios que decorrem dessa nova legislação. Em evento sobre “Fusões e Aquisições”*, o escritório de advocacia TozziniFreire e a consultoria PwC elencaram os potenciais valores que os fundos de private equity podem agregar aos hospitais.

Leia Mais: Como investir em instituições de saúde que não visam lucro?
Quem são os fundos de investimento mais ativos em saúde digital?
Como conseguir investimento para uma Startup de Saúde crescer?
O aquecimento das fusões e aquisições na Saúde

Antes de saber as potencialidades de uma negociação com um fundo, é preciso ter clareza sobre o que são esses fundos. Na definição apresentada pelor organizadores do evento, os fundos são:

  • organizados por gestores profissionais, mediante a captação de recursos de investidores qualificados, que têm como propósito a aquisição de participações em empresas (via de regra de capital fechado) de setores variados, com bom potencial de crescimento e perspectivas de trazer retorno aos investidores do fundo após o decurso de um determinado lapso temporal. No Brasil é muito comum esses fundos serem estruturados como fundos de investimento em participações – FIPs, que são regulados pela Instrução CVM nº 391/03.
  • Os gestores e os investidores desses fundos unem esforços para de agregar valor às empresas, participando da gestão delas. Alguns exemplos de gestores são: Pátria Investimentos, DLM Invista, Gávea Investimentos, GP Investmentos, Axxon Group, Performa Investimentos, The Carlyle Group, Advent International, Blackstone e KKR
  • Exemplos de investidores dos fundos levantados por gestores profissionais: entidades de fomento, fundos de pensão, family offices etc. Aqui no Brasil, dentre as entidades mais ativas nesse setor estão BNDES, Funcef e a Financiadora de Estudos e Projetos – FINEP.

Como são estruturados? 

fundos-de-investimentos

Apesar da falta de maturidade em gestão do mercado de Saúde brasileiro, investidores relevantes têm apostado no País. O Carlyle Group, por exemplo, investiu US$ 593 milhões na compra de uma fatia da Rede D´Or São Luiz em abril do ano passado e, mais tarde, adquiriu a operadora de planos de saúde Tempo Participações. Em maio, o GIC Pte, fundo soberado de Cingapura, pagou US$ 508 milhões por parte da capital da Rede D´Or.

O ramo dos laboratórios é outro nicho bastante assediado pelos investidores, até por ter as margens de lucro mais altas da Saúde e por ter a maior atividade de fusões e aquisições. Cerca de 13% do capital do Fleury foi comprado no ano passado pelo fundo Advent Internacional. Para se ter uma ideia, a Advent detém participação em quase 30 empresas de serviços de saúde, farmacêuticos e equipamentos médicos, em várias partes do mundo. Já o Dasa, por exemplo, tem o Pedro Bueno, filho do Edson Bueno, como seu maior acionista (mais de 70%); cerca de 30% do Hermes Pardini (MG) pertence ao fundo Gávea, que sondou comprar o Fleury; e o Alliar pertence ao fundo Pátria.

São muitos os exemplos de fundos em empresas de Saúde e o que eles prometem agregar são:

Melhorias na gestão e controles internos
Adoção de boas práticas de governança corporativa
Estratégias com foco em longo prazo
Networking
Suporte estratégico
Acesso a crédito
Crescimento por consolidação

*Evento “Fusões e Aquisições no Setor de Saúde”, organizado por TozziniFreire e PwC, com apoio institucional da Feira Hospitalar, foi realizado no dia 01 de Dezembro de 2015.

Nathalia Nunes

About Nathalia Nunes

Fonoaudióloga formada pela FMUSP, com MBA em Economia e Gestão em Saúde na UNIFESP e apaixonada por comunicação, negócios e tecnologia em saúde. Na Live, trabalho com Marketing, Pesquisa e Conteúdo, tanto na produção de materiais editoriais e de pesquisa, quanto na difusão de temas e ações relacionados a negócios em saúde.

Leave a Reply