This site is operated by a business or businesses owned by Informa PLC and all copyright resides with them. Informa PLC's registered office is 5 Howick Place, London SW1P 1WG. Registered in England and Wales. Number 8860726.

Brasil é o país com maior crescimento em preocupações com segurança no mundo

By 3 de julho de 2020 Mercado

Pesquisa sobre preocupações de consumidores com segurança revela principais apreensões no âmbito da Covid-19 no Brasil e em mais 14 países

Estudo anual realizado desde 2007 sobre as preocupações com segurança do consumidor, o Unisys Security Index™ 2020, divulgado recentemente, mostra a preocupação do brasileiro em relação à crise da pandemia.

O levantamento feito em 15 países, com entrevistas realizadas entre 16 de março e 5 de abril deste ano, revela que 85% dos brasileiros estão extremamente ou muito preocupados com a infraestrutura de saúde local no âmbito da Covid-19. O estudo aponta, ainda, que 84% estão apreensivos em relação à estabilidade econômica do país, enquanto a terceira maior preocupação é a saúde física da família durante a pandemia, considerada extremamente ou muito preocupante para 83% dos entrevistados.

Em 4º no ranking vem a preocupação com “minha própria saúde física”, com 72%, muito próxima do quinto lugar, “minha segurança financeira”, com 71%. A segurança no emprego aparece na 7ª posição – como grande preocupação para 58% dos brasileiros – atrás do risco de ser enganado durante a crise (62%). Por último, estão o risco de uma violação de dados ao trabalhar remotamente e a educação dos filhos, temas muito importantes para metade (52%) dos respondentes.

O estudo encomendado pela Unisys, empresa global de tecnologia, traz análises sobre a preocupação de segurança em quatro dimensões: nacional, que envolve desastres e epidemias; bancária; cibernética; e pessoal. Com a deflagração da pandemia da COVID-19, verificou-se um aumento nas preocupações de segurança pessoal (+5) e nacional (+5), e uma queda nas preocupações financeiras (-4) e Internet (-8).

Os resultados globais mostram que os consumidores estão, neste ano, bem mais preocupados com desastres naturais, como pandemias. No ranking global, as  preocupações com desastres naturais subiram do 7º para o 3º lugar no último ano. No Brasil, não foi diferente: potenciais “desastres naturais” são algo extremamente ou muito preocupante para 72% neste ano, a 4ª maior preocupação, enquanto em 2019 era a 6ª apreensão, com 62% muito ou extremamente preocupados.

A média global das  respostas dos entrevistados de 15 países aponta que, durante a pandemia, pessoas estão mais preocupadas com a saúde de sua família (67%), estabilidade econômica (66%) e a infraestrutura de saúde de seu país (64%) do que com a segurança do emprego pessoal (48%). Embora as preocupações sejam semelhantes no Brasil, aqui a proporção dos que se disseram extremamente e muito preocupados com a segurança de seu emprego é cerca de 20% maior que a média global.

“A pesquisa nos dá pistas sobre quais temas relacionados à segurança são mais urgentes na visão no brasileiro em meio ao cenário atual. Saúde e economia são, de fato, temas fundamentais para que atravessemos bem a crise”, comenta Mauricio Cataneo, presidente da Unisys Brasil.

Por fim, a pesquisa revela que o Brasil registrou o maior crescimento em preocupações relacionadas a questões de segurança entre os 15 países avaliados. Os 197 pontos deste ano, de um máximo de 300, representam o índice mais alto do país desde 2013. A média global do USI 2020 está em 175 pontos pelo segundo ano consecutivo, maior patamar nos 14 anos em que o estudo foi realizado.

Para mais resultados do Brasil no Unisys Security Index 2020, clique aqui

Sobre o Unisys Security Index™

Iniciativa da Unisys Corporation (NYSE: UIS), o Unisys Security Index™ é o mais antigo monitoramento global de segurança digital. Realizado desde 2007, o levantamento oferece uma análise estatisticamente robusta sobre a percepção de segurança dos consumidores.

Projetado numa escala que vai de zero a 300 (sendo o zero mais seguro e 300, menos), o índice é calculado a partir de uma metodologia que afere atitudes de pessoas ao longo de um dado período de tempo em relação a oito temas de segurança, divididos em quatro categorias: Segurança Nacional, também relacionado a desastres ou epidemias; Segurança Financeira, que aborda temas como fraude bancária e obrigações fiscais; Segurança da Internet, que inclui vírus/ ataques de hackers e transações online; e, por fim, Segurança Pessoal, com tópicos como roubo de identidade e informações pessoais.

O Índice de Segurança é calculado com base na média das preocupações de consumidores com a segurança nessas quatro grandes dimensões em uma escala de um a quatro, em que um é não preocupado e quatro é extremamente preocupado. Das respostas, é aferida uma pontuação média  entre extremamente preocupado (300 pontos), muito preocupado (200 pontos), um pouco preocupado (100 pontos) e nada preocupado (0 ponto).

O Unisys Security Index de 2020 foi baseado em pesquisas nacionais de amostras representativas de um total de 15.699 residentes adultos de 18 a 64 anos de idade em 15 países. Foram aplicadas entrevistas online junto a grupos amostrais representativos com o mínimo de 1.000 indivíduos dos seguintes países: Austrália, Bélgica, Brasil, Chile, Colômbia, França, Alemanha, Índia, México, Holanda, Nova Zelândia, Filipinas, Singapura, Reino Unido e Estados Unidos.

Durante a pesquisa, realizada entre 16 de março e 5 de abril de 2020, a pandemia de COVID-19 era predominante em todos os países analisados.

A amostra do estudo é ponderada com relação a características demográficas nacionais de adultos, como gênero, idade e região. Os índices de segurança globais são médias não ponderadas dos índices de segurança dos 15 países.

A margem de erro é de 3,1% para mais ou para menos nos resultados por país, e de 0,8% nos resultados globais. O nível de confiança da pesquisa é de 95%.

Portal Saúde Business

About Portal Saúde Business

Formar e informar o executivo de saúde é o que fazemos todos os dias. Há mais de 15 anos desenvolvendo um conteúdo proprietário e centrado nos principais gestores do país, acompanhamos as notícias e tendências que impactarão no dia-a-dia dos hospitais, operadoras, centros diagnósticos, farmacêuticas e clínicas do país.