This site is operated by a business or businesses owned by Informa PLC and all copyright resides with them. Informa PLC's registered office is 5 Howick Place, London SW1P 1WG. Registered in England and Wales. Number 8860726.

⚠️ Hospital Albert Einstein, Rede D'Or, Amil, DASA, Fleury... todos no HIS. E você? Clique aqui

Entenda os diferentes termos relacionados à logística em saúde

Em nossos posts, temos abordado a importância de se definir processos logísticos, com vistas a aumentar a segurança do paciente e o controle de custos nas instituições de saúde. Entendemos, porém, que o termo “logística hospitalar” ainda não é tão claro para a população em geral e, muitas vezes, nem mesma para os profissionais das próprias organizações assistenciais.

Por isso, queremos, nesse texto, elucidar as diferenças entre logística hospitalar, logística de medicamentos e logística reversa de medicamentos. Ao longo dos parágrafos, você vai encontrar links para vídeos com essas definições, para compartilhar com a sua equipe.

A logística é a organização do fluxo de insumos de forma racional e eficiente. Quando bem aplicada na instituição de saúde, ela articula recursos humanos, materiais e tecnológicos para permitir que itens e medicamentos estejam sempre disponíveis no tempo correto, de forma segura e com custo adequado, ajudando a reduzir erros na administração desses suprimentos.

A Logística Hospitalar  busca organizar o fluxo dos insumos, desde a chegada ao centro de distribuição até a entrega ao médico, equipe assistencial ou paciente. Ela se baseia em quatro eixos: software específico adequado à gestão e ao volume de informação, infraestrutura de armazenagem, com equipamentos e materiais apropriados, implementação de processos específicos à realidade da empresa, e mão de obra qualificada e treinada no software e processos mencionados.

Na Logística de Medicamentos, o foco está no o acompanhamento e controle dos insumos dentro da instituição de saúde, desde o almoxarifado até a entrega ao paciente, passando por farmácias ambulatoriais, centrais e satélites e. O processo é feito de maneira informatizada e com equipe especializada. Essa gestão, da entrada em estoque ao consumo pelo paciente, pode, por exemplo, reduzir o índice de obsolescência, que gira em torno de 20%.

Por fim, os insumos não utilizados pela instituição são tratados pela Logística Reversa de Medicamento. O rastreamento do consumo em todas as áreas da instituição possibilita o diagnóstico proativo deste excedente, sem depender de aviso do setor envolvido. A logística reversa permite que os bens sejam devolvidos ao fornecedor, com estorno contábil e financeiro dos produtos.

 

 

 

Domingos Gonçalves de Oliveira Fonseca

About Domingos Gonçalves de Oliveira Fonseca

Reconhecido por diversos anos seguidos como uma das personalidades mais influentes da saúde, nascido em Alqueidão (Portugal) e naturalizado brasileiro, Domingos Fonseca é administrador de empresas (PUC/SP), reconhecido empresário das áreas de transporte e logística e ex-Presidente da Associação Nacional do Transportes Rodoviário de Carga (NTC&Logística). Atual Presidente da UniHealth Logística Hospitalar, uma das principais empresas do setor de logística de produtos médicos e farmacêuticos da América Latina.

Leave a Reply