This site is operated by a business or businesses owned by Informa PLC and all copyright resides with them. Informa PLC's registered office is 5 Howick Place, London SW1P 1WG. Registered in England and Wales. Number 8860726.

Idec pede à ANS revisão da metodologia de reajuste de plano de saúde individual

By 1 de junho de 2017 Gestão

Na última terça-feira (30), o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) encaminhou carta à Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) pedindo a revisão da metodologia de reajuste de plano de saúde individuais. No entendimento do Instituto, não há justificativa para que o teto dos reajustes dos contratos individuais esteja tão alto.

De acordo com a pesquisadora em saúde do Idec, Ana Carolina Navarrete, o teto fixado em 2017 pela ANS de até 13,55% é quase um terço maior do que a inflação oficial medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (IPCA) que, no acumulado em 12 meses, atingiu 9,56%.

“Em pontos percentuais, o reajuste ficou 61,47% acima da inflação. Mesmo a inflação médica, que costuma ser maior do que a inflação geral, ficou mais baixa no período analisado”, explica Navarrete.

No documento, o Idec ainda solicitou que a ANS crie um Grupo de Trabalho (GT) para discutir os reajustes dos planos de saúde e reveja também critérios de cálculo dos contratos individuais para aumento por faixa etária, além de fixar um teto que deverá ser aplicado para planos individuais coletivos.

“A média de preços do mercado de planos coletivos engloba a sinistralidade embutida nos reajustes anuais praticados pelas operadoras, o que, distorcidamente, passa a influenciar no cálculo do teto dos planos individuais. Em realidade, a agência usa para regular uma parcela do setor os parâmetros da parte não regulada”, critica a advogada

Portal Saúde Business

About Portal Saúde Business

Formar e informar o executivo de saúde é o que fazemos todos os dias. Há mais de 15 anos desenvolvendo um conteúdo proprietário e centrado nos principais gestores do país, acompanhamos as notícias e tendências que impactarão no dia-a-dia dos hospitais, operadoras, centros diagnósticos, farmacêuticas e clínicas do país.

Leave a Reply