This site is operated by a business or businesses owned by Informa PLC and all copyright resides with them. Informa PLC's registered office is 5 Howick Place, London SW1P 1WG. Registered in England and Wales. Number 8860726.

Da união de duas empresas, TopJob chega para combater absenteísmo

By 18 de agosto de 2014 Gestão

Elas são catarinenses e têm grupos de investidores em comum. Uma é voltada para a promoção da saúde e prevenção de riscos e doenças, e a outra possui expertise no mundo corporativo, fazendo a segurança do trabalhador. A união das respectivas especialidades da TopMed e Total Life gerou uma solução interativa, baseada em web, de gestão do absenteísmo (faltas e ausências dos colaboradores) nas empresas.

A plataforma, batizada de TopJob, identifica as principais motivações de ausência e, por meio de um call center, instrui o colaborador para o cuidado com a saúde, acompanha o processo de recuperação dos afastados, para que cumpram corretamente as recomendações médicas; e também acaba inibindo fraudes em atestados médicos.

Dessa forma, a Saúde ocupacional é unificada ao acompanhamento e orientação à saúde, que além de monitorar as ausências, pode reunir o Registro Médico da Medicina do Trabalho ao Prontuário da Central de Orientação Médica. O pacote de benefícios aos funcionários é contratado pelas empresas sob um sistema de cobrança baseado no número de vidas incluídas no programa.

A empresa TopMed faz parte do Grupo Benner, o que evidencia a estratégia por trás dessa iniciativa: a de reduzir despesas administrativas e assistenciais por meio da tecnologia, propósito da Benner. Atualmente, o grupo oferece soluções de gestão para operadoras de planos de saúde – seu maior market share – hospitais e saúde pública e fatura aproximadamente R$ 120 milhões em Saúde.

Além do pronto aconselhamento realizado pela Central, outros serviços fazem parte do pacote: avaliação de sintomas e orientação de saúde; serviço de orientação em nutrição; descontos na compra de medicamentos através de uma rede de 14.000 farmácias; e prontuário médico pessoal em formato eletrônico, por acesso via web.

“Acreditamos que para os próximos três anos podemos esperar uma carteira de clientes com aproximadamente 4 milhões de vidas. Hoje atendemos sete empresas nas áreas de call center, têxtil e indústria plástica”, contou o diretor da Total Life, Jeferson Spessatto, por e-mail ao Saúde Business 365.

Impacto do absenteísmo

De acordo com levantamento da Total Life, o impacto do absenteísmo por doença na Alemanha em 2001 custou 44,76 bilhões de euros enquanto que para o Reino Unido, a perda foi de 11 bilhões de libras esterlinas, principalmente por causa de doenças dos sistemas ósteomuscular e respiratório.

Para se ter uma ideia, no Brasil, entre 2000 e 2004, as despesas aumentaram 31,8% com a concessão do auxílio-doença. Em 2000, o auxílio-doença representava 3,2% dos gastos da previdência social e, em 2004, a despesa subiu para 7,5%.

Segundo Spessatto, a solução foi criada para atender a demanda de empresas com uso intensivo de mão de obra, nas quais as ausências por problemas de saúde representam um grande prejuízo operacional. Entre as mais impactadas, estão as indústrias e as empresas de serviços, como as de call center, redes de varejo, manutenção e segurança, entre outras.

Um estudo realizado pelo Institute for Health and Productivity Studies, dos Estados Unidos, mostrou que as companhias americanas chegam a perder US$ 150 bilhões por ano devido à presença de funcionários doentes, que acabam não rendendo em suas atividades. No Brasil, estima-se que esta cifra pode chegar a 3% do Produto Interno Bruto, ou seja, R$ 42 bilhões por ano.

Entre os sintomas mais comuns do presenteísmo (presença física e ausência mental) estão: dores musculares, cansaço, ansiedade, angústia, irritação, depressão, insônia e distúrbios gástricos. Entretanto, o grande gerador do presenteísmo é o estresse. De acordo com o International Stress Management Association, os oito países mais estressados do mundo, em ordem decrescente, são: Japão (70%), Brasil (30%), China (24%), Estados Unidos (20%), Israel (18%), Alemanha (16%), França (14%) e Hong Kong (12%). No Brasil, segundo o mesmo instituto, três em cada dez brasileiros apresentam problemas de saúde devido ao estresse no trabalho.

Nathalia Nunes

About Nathalia Nunes

Fonoaudióloga formada pela FMUSP, com MBA em Economia e Gestão em Saúde na UNIFESP e apaixonada por comunicação, negócios e tecnologia em saúde. Na Live, trabalho com Marketing, Pesquisa e Conteúdo, tanto na produção de materiais editoriais e de pesquisa, quanto na difusão de temas e ações relacionados a negócios em saúde.

Leave a Reply