This site is operated by a business or businesses owned by Informa PLC and all copyright resides with them. Informa PLC's registered office is 5 Howick Place, London SW1P 1WG. Registered in England and Wales. Number 8860726.

HOSPITALAR 2019 Já emitiu sua credencial gratuita? Clique aqui

Cirurgia Bariátrica pelo SUS é tema entre SBCBM e ministro da Saúde

By 8 de fevereiro de 2017 Gestão

O presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica, Caetano Marchesini reuniu-se  em Curitiba, com o Ministro da Saúde, Ricardo Barros. O tema do encontro foi a Portaria n° 5, de 31 de janeiro de 2017, publicada no Diário Oficial da União, e que oficializa a incorporação da videolaparoscopia nos procedimentos de cirurgias bariátricas realizadas pelo SUS – Sistema Único de Saúde.

“A portaria contribuiu e muito para resolver um grande problema na saúde pública brasileira para o obeso grave. A inclusão da videolaparoscopia irá equiparar a assistência pública ao setor assistencial privado do Brasil. Isso é, sem dúvidas, um grande avanço na recuperação do pátio tecnológico assistencial da alta complexidade”, declarou Marchesini.

Para ele, os benefícios e a segurança da cirurgia bariátrica laparoscópica podem contribuir para aumentar a eficiência do sistema de saúde e o acesso ao tratamento. “A Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica coloca-se à disposição do Ministério da Saúde para contribuir, se necessário, com a operacionalização desta medida no país”, disse o presidente da SBCBM.

O Ministro da Saúde, Ricardo Barros, agendou uma reunião entre os técnicos do Ministério e representantes da SBCBM para debater o tema na próxima quinta-feira (09), em Brasília.

No ano passado foram realizadas cerca de 100 mil cirurgias bariátricas em todo País. Desse total, apenas 10% dos procedimentos foram feitos na rede pública.

O presidente da SBCBM disse que, atualmente, existem 3.5 milhões de obesos mórbidos elegíveis à cirurgia, por critérios da portaria do Ministério da Saúde.

“Considerando que apenas 5% deles queiram de fato operar, estamos falando de 175 mil pacientes cirúrgicos. O volume atual de cirurgias é de pouco mais de quase 10 mil cirurgias. Então, com a videolaparoscopia, podemos ampliar os atendimentos no SUS, pois tanto a cirurgia quanto a recuperação do paciente demandam um tempo menor”, acrescenta Dr. Caetano.

Considerado um procedimento menos invasivo e, consequentemente, mais seguro a laparoscopia possibilita ao paciente um tempo menor de recuperação. A cirurgia não tem indicação como tratamento estético e sim para melhora de doenças associadas à obesidade e qualidade de vida.

De acordo com as orientações da resolução a cirurgia é liberada apenas para pacientes com IMC igual ou maior que 40kg/m² e pode ser realizada em casos de IMC entre 35kg/m² e 40kg/m², desde que o paciente tenha comorbidades como, por exemplo, o diabetes. O IMC é calculado a partir da divisão do peso pela altura ao quadrado.

 

Portal Saúde Business

About Portal Saúde Business

Formar e informar o executivo de saúde é o que fazemos todos os dias. Há mais de 15 anos desenvolvendo um conteúdo proprietário e centrado nos principais gestores do país, acompanhamos as notícias e tendências que impactarão no dia-a-dia dos hospitais, operadoras, centros diagnósticos, farmacêuticas e clínicas do país.

Leave a Reply