This site is operated by a business or businesses owned by Informa PLC and all copyright resides with them. Informa PLC's registered office is 5 Howick Place, London SW1P 1WG. Registered in England and Wales. Number 8860726.

HOSPITALAR 2019 Já emitiu sua credencial gratuita? Clique aqui

Amanhã começa Hoje

By 30 de janeiro de 2017 Colunas, Gestão

ESTRATÉGIA É UMA FORMA DE PENSAR NO FUTURO. É visualizar mentalmente os prováveis cenários que estão por vir, imaginar atitudes e soluções para cada situação prevista e planejar as ações que preparem uma chegada favorável, mais segura e produtiva aos desafios que irão aparecer.

Esportistas, empreendedores e governantes são alguns dos usuários obrigatórios de estratégia. Sem lançar mão desse tipo de pensamento, o sucesso só pode ser alcançado por acidente, o que é muito raro e difícil. Para conseguir êxito nos objetivos é necessário buscá-lo ativamente e isso se faz com a utilização de um instrumento estratégico por excelência, o planejamento.

Planejar consiste em antecipar cada etapa de nossas ações futuras e estabelecer como e em que momentos do tempo elas serão executadas. Sem plano, é improvável a vitória, seja no esporte, na guerra ou na atividade profissional.

Onde quero chegar? Como devo agir? Que ações podem me levar aos resultados almejados? Questões assim têm que ser respondidas e o planejamento deve incluir um cronograma, a exposição gráfica das ações e dos prazos estimados para a sua consecução.

O grande desafio é que para fazer bem todas essas coisas – traçar objetivos, visualizar os cenários futuros, elaborar a estratégia, fazer o planejamento e construir o cronograma – são necessários três elementos: criatividade, conhecimento e técnica. Do primeiro, não falaremos agora.

Conhecimento e a técnica não são aquisições espontâneas, que se obtêm passivamente. Para eles é necessária a busca ativa, em um processo que chamamos de aprendizado. Apesar de não ser a única fonte para isso, ambos se obtêm mais freqüentemente pelos estudos em cursos, escolas e universidades. E é aqui que começam os nossos problemas.

O ensino brasileiro vem decaindo de qualidade há décadas até chegar a ser hoje – como demonstram sistematicamente as avaliações e testes internacionais – um dos piores do mundo.

De fato, o nosso ensino – fundamental e médio – diploma analfabetos funcionais, as nossas universidades produzem pesquisa irrelevante para a ciência mundial e a formação profissional que oferecem deixa muito a desejar, como atestam as reclamações constantes dos empregadores e os exames do tipo dos da OAB e CRM-SP.

São muitas as causas dessa decadência e aqui não vamos buscar os responsáveis por elas, contudo é fato que nos anos recentes nossa rede escolar e universitária sofreu uma gigantesca expansão sem planejamento – olha ele aí! – e foi perdendo as características presentes nos sistemas educacionais fortes, como um ensino rigoroso, competitivo, meritocrático e voltado para a formação profissional de qualidade.

A formação ruim inviabiliza tanto a criação de estratégias eficientes como a elaboração de um bom planejamento.

O fenômeno é resultado de múltiplas causas, mas na raiz da alta mortalidade das nossas empresas de Saúde – lembrem-se do desaparecimento de operadoras de planos, laboratórios e até hospitais! – está a má formação de grande parcela de seus profissionais, principalmente os que atuam na gestão. Não basta querer, é preciso saber fazer!

Estrategistas pensam no futuro e o nosso é representado por aqueles que atualmente são estudantes nas escolas com os piores resultados do mundo. Não é preciso pensar muito para perceber que esta situação não pode ser mantida por muito mais tempo, sob pena de continuarmos com empresas ineficientes, de vida curta e com desmoralizantes índices de desemprego.

Precisamos urgentemente fazer grandes mudanças no ensino brasileiro, reintroduzindo os bons elementos que perdemos, como o rigor, o mérito a disciplina e trazendo os componentes educacionais das economias de países mais avançados: a competitividade, o diálogo constante com o mercado profissional, a criatividade e o empreendedorismo.

É o bom caminho e um dia o futuro vai nos agradecer.

Rubens Baptista Junior

About Rubens Baptista Junior

Rubens Baptista Junior é consultor e palestrante em Gestão Estratégica, Saúde, Educação e Comunicações; professor na EEP do HC FM-USP e no MBA Executivo em Saúde da FGV; e jornalista. É médico especialista em Administração em Saúde pelo PROAHSA, em Medicina Preventiva e Social pela FM-USP e em Administração Hospitalar e de Sistemas de Saúde pela FGV-EAESP; bacharel em Direito pela Faculdade de Direito do Largo São Francisco – USP e em Comunicação Social pela ECA-USP. www.rubens.med.br

Leave a Reply