INSCREVA-SE para o HIS19 e atualize-se com mais de 70 horas de conteúdo! Inscreva-se

10 dicas pra você que produz conteúdo na saúde

By 25 de dezembro de 2015 Empreendedorismo, Gestão

*Matéria originalmente publicada em 04/05/2014.

Ultimamente tenho escrito diversos artigos sobre content marketing (marketing de conteúdo), branded content e outras ferramentas dependente de conteúdo, para se atingir seu público-alvo. O que faltava era falar sobre como criar esse conteúdo.

Há dois anos, quando comecei dar atenção a como produzia conteúdo e se o objetivo era atingido, vi a dificuldade de se encontrar referencias para estudar sobre o assunto. O resultado é que não encontrei nada no Brasil que pudesse ajudar, e recorri a veículos internacionais.

Ainda não é uma realidade no Brasil, mas nos EUA (mercado mais concorrido e agressivo em marketing e publicidade) o content marketing tem se tornado cada vez mais o centro das atenções, o que não é difícil de se entender, já que as marcas devem aprender a se comunicar com seu consumidor do jeito que ele quer, na hora que ele precisa, da maneira que lhe convém, e ainda disputar a atenção dele, que está dividida entre as redes sociais, sites de notícias, portais de conteúdo, whatsapp, televisão etc.

Então vamos a algumas dicas importantes para quem quer começar a criar conteúdos relevantes e eficientes.

Esqueça sua marca

Tenha certeza de que no primeiro momento que o leitor entender que você tem como objetivo vender algum produto com seu conteúdo, provavelmente ele irá parar de ler, e possivelmente passará a ser um inimigo da sua marca.

Ajude

O grande benefício do content marketing é a possibilidade que sua marca tem de posicionar como um amigo do cliente, ajudando-o a qualquer momento. Resolva um problema do seu cliente, mesmo que esse problema não tenha correlação direta com sua marca. Recentemente li no CMO.com uma matéria muito interessante sobre marketing digital, quando vi quem assinou a matéria fiquei surpreso, era a aveia Quaker.

Entenda

A sensação que tive ao discutir projetos de content marketing com gestores é que a maioria pensa ser fácil criar textos, e por isso não veem valor direto. Escrever realmente não é das tarefas mais difíceis, porém o grande segredo é entender exatamente quem é seu alvo, o que ele busca na internet, como ele consome essa informação e qual o tom que você deve utilizar. Esqueça a demografia.

Acompanhe

Não dá para esquecer das ferramentas de análise, principalmente se você busca melhorar cada vez mais seu conteúdo e ter eficiência nas suas ações. Algumas referencias apontam que 70% das pessoas não fazem o scroll down nas páginas, o que significa dizer que se o título da sua matéria não for atrativo, você perde o cliente. Além de muitos outros índices que devem ser monitorados.

SEO/SEM

Não se esqueça, uma boa estratégia de SEM/SEO é imprescindível. Ninguém escreve uma matéria por escrever, todos querem que seus textos sejam lidos, compartilhados e formem opinião. Se sua marca também quer isso, ter uma estratégia de SEM/SEO bem constituída é indispensável para a tração de novos leitores.

Toda página é uma homepage

Com um bom SEO é possível que algumas páginas suas tenham mais acesso que a própria homepage, e por isso que agora o mindset é que toda página de um site é sua homepage e deve receber a mesma atenção dos designers, programadores e publishers, que  as páginas de rosto.

Pergunte ao leitor

Importantíssimo é saber o que o leitor achou do seu conteúdo. Existem diversas maneiras para se medir isso, seja por ferramentas de análises, monitoramento de redes sociais, comentário e outros, seja por uma pergunta direta ao leitor “Gostou do conteúdo?”. Quem faz muito bem isso é o MinhaVida, onde ao final de todas suas matérias tem um termômetro de utilidade do post. Essa informação é preciosa para o gestor de conteúdo.

Não tenha medo

O mercado publicitário americano é agressivo porque as marcas não tem medo de citar concorrentes e outras marcas, comparar-se com esses ou até mesmo critica-los em público. No Brasil é diferente, as marcas dificilmente citam umas às outras, principalmente pelo medo de perde cliente para a concorrência. Em se tratando de conteúdo, não tenha medo. Lembre-se que seu objetivo é ajudar seu cliente, no que ele precisar, e você conquista seu leitor ao ser o mais sincero possível e transparente a qualquer custo. Vencerá a marca que melhor ajudar seu consumidor.

Posicione-se

Mesmo se tratando de uma marca de nicho, diferentes pessoas consomem seu conteúdo. São formadores de opinião, leitores passivos, advogados de marca e muitos outros, a pergunta a ser feita é: “Quem minha marca quer agradar?” Tentar ajudar a todos é praticamente impossível. Por exemplo startups que vendem ERP para consultórios, quem você deve impactar? O dono do consultório, ou sua secretaria? São estratégias e canais completamente diferentes.

Divirta-se

Produzir conteúdo não é fácil, são necessárias as pessoas certas. Com a internet sendo inundada cada vez mais com blogs e blogueiros “profissionais”, ter um conteúdo relevante e inédito é cada vez mais importante e estressante. Analisando nossos concorrentes, vemos que a gigante maioria produz o mesmo conteúdo, na verdade compra o conteúdo das “content farms”, agências de notícias, ou simplesmente alteram um press release. O resultado é um material sem personalidade, opinião e enlatado.

A mídia de nicho, ou “new media” como chamam os americanos, é diferente. Feita por você, pra você, ela cria vínculos com o leitor, tem personalidade. Para que isso aconteça a redação deve ter pessoas das mais diferentes formações, com as mais diferentes personalidades. Pessoas viajadas, que tenham facilidade para circular em qualquer ambiente e saibam se comunicar com todo tipo de pessoa. Acima de tudo, produzir conteúdo deve ser divertido!

Jeremy

Raphael Gordilho

About Raphael Gordilho

Médico com MBA em Marketing, Raphael co-fundou a Live Healthcare, empresa responsável pelo Saúde Business Fórum, Healthcare Innovation Show e Portal SaudeBusiness.com. Em 2018 a empresa se juntou a Feira Hospitalar, no portfólio de saúde da UBM Brazil e posteriormente Informa Exhibitions. Hoje Raphael é Head of CX, onde é responsável pela experiência dos clientes em todos os canais digitais e offline.

Leave a Reply