This site is operated by a business or businesses owned by Informa PLC and all copyright resides with them. Informa PLC's registered office is 5 Howick Place, London SW1P 1WG. Registered in England and Wales. Number 8860726.

Outros setores investem em startups de saúde digital

By 19 de maio de 2015 Empreendedorismo

Com o ambiente de M&A crescendo em saúde digital, empresas não-tradicionais do setor têm procurado investir na área. Contamos que a MyFitnessPal foi comprada por US$475 milhões pela empresa Under Armour e que a Xerox investiu em uma parceria com a Healthspot para aumentar a distribuição do serviço da startup.

A tendência mostra que a saúde não é mais considerada um nicho em termos de negócios e que outras empresas identificam valor na adoção de ferramentas de saúde para seus modelos de negócio. O aumento de gastos em serviços de saúde, sejam médicos ou de bem-estar, está criando um mercado atrativo para modelos B2C.

Neste contexto, a tendência do consumo de saúde parece crescer, mas, em áreas tradicionais, como farmacêutica, medical device, pagamentos e provedores, o papel da saúde digital é mais conservador. O paciente, no geral, não é a fonte pagadora, o que dificulta o modelo de negócios de empresas inovando na área.

Enquanto empresas de saúde tendem a ser mais conservadoras ao abordar inovação, elas têm uma vantagem competitiva de maior alcance e marcas mais fortes com os consumidores, além de, claro, já entenderem o comportamento do consumidor da área.

Segundo a RockHealth, aceleradora de startups americana, alguns fatores devem ser considerados caso alguma startup de saúde queira ser adquirida por uma empresa de fora do setor. Claro que estes pontos são baseados no modelo americano, mas, com certeza, são válidos para importação.

Junte-se a uma empresa com uma missão/visão similar a sua. Muitas empresas são vendidas e, com o tempo, o produto perde a essência e passa a ser só mais um no pipeline da organização. É importante ficar claro que as empresas se importam com os mesmos fatores;

Entenda as motivações estratégicas do seu potencial parceiro/comprador. Cada organização faz uma aquisição por motivos diferentes. Conhecer os motivos e trabalhar para que eles sejam atendidos faz parte de uma boa estratégia para futura aquisição;

Saiba quando é a hora certa. Às vezes, este fator vem com sorte, mas, algumas vezes, isso pode ser planejado com base no histórico de aquisições – e valores envolvidos;

Crie um senso de urgência, negociando com diferentes compradores e não somente focando em uma empresa. Mesmo que haja um plano, é importante ter outros players na negociação para que o processo seja mais rápido e bem-sucedido;

Crie parcerias ao longo do caminho e abra relacionamento com potenciais compradores. Uma empresa com boas parcerias, bons resultados e boas pessoas tem grandes chances de ter sucesso.

Inscreva sua startup no processo seletivo da Berrini Ventures.

Nathalia Nunes

About Nathalia Nunes

Fonoaudióloga formada pela FMUSP, com MBA em Economia e Gestão em Saúde na UNIFESP e apaixonada por comunicação, negócios e tecnologia em saúde. Na Live, trabalho com Marketing, Pesquisa e Conteúdo, tanto na produção de materiais editoriais e de pesquisa, quanto na difusão de temas e ações relacionados a negócios em saúde.

Leave a Reply