This site is operated by a business or businesses owned by Informa PLC and all copyright resides with them. Informa PLC's registered office is 5 Howick Place, London SW1P 1WG. Registered in England and Wales. Number 8860726.

Empresas ligadas à saúde despontam nas mais variadas atividades

Aplicação de tecnologia e soluções disruptivas propiciam crescimento, agilizam processos e favorecem o acesso a serviços ligados ao bem-estar

Em tempo de Coronavírus, cuidados com a saúde demandam mais do setor, seja em unidades públicas, seja em privadas. A capacidade de atendimento tem sido colocada à prova diariamente. Segundo dados do Empresômetro, empresa de inteligência de mercado, no Brasil são mais de 735 mil negócios ativos voltados à saúde humana, sendo hospitais, clínicas, profissionais, entre outras atividades relacionadas.

Tempos como esse requerem mais dos que as tradicionais medidas, precisa-se de tecnologia e inovação, e é nessa oportunidade que as health techs mostram a que vieram. Num mercado global que movimenta quase 9 trilhões de reais por ano, essas empresas disruptivas ainda têm pouco espaço no país e no mundo.

Segundo consultorias como KPG e Gnome, esse número varia entre 300 e 400 no país todo, com potencial de crescer ainda mais, sendo o Brasil o sétimo país do mundo que mais movimenta recursos com saúde.

“Essas atividades podem se beneficiar da tecnologia oferecida pelas healthtechs, mas é preciso trabalhar a cultura conservadora que cerca o setor, reduzindo a burocracia com processos automatizados, melhorando diagnósticos e evitando desperdícios, melhorando a vida de gestores, médicos e pacientes”, diz o empresário e CEO do Empresômetro, Otávio Amaral.

Para o empresário, quase todos os novos negócios, que não são poucos, comparando os três primeiros meses do ano com o mesmo período em 2019, houve um crescimento de mais 12% na abertura dessas empresas, e são justamente elas as maiores beneficiadas por tecnologias disruptivas.

“Identificamos, através da análise de nossos dados, que no ano de 2014 foram abertas pouco mais de 29 mil empresas na atividade de atenção à saúde humana, já em 2019 foram quase 86 mil negócios formalizados, levando a um aumento de 191,5% na taxa de abertura de empresas do setor”, afirma Amaral.

Ainda, segundo o empresário: “Há tanto interesse que muitos fornecedores e gigantes da indústria e do setor de saúde investem em soluções tecnológicas, buscando a mudança de paradigmas e mudando o mundo a cada passo”.

Mercado em expansão

É uma fatia de mercado com potencial para movimentar recursos vultosos. Somente em 2019, grandes companhias como Google e Amazon investiram mais de 9 bilhões de dólares em startups de saúde.

“Isso já é uma realidade no Brasil, em que muitos processos estão anos-luz de serem eficientes, muitas empresas grandes, em especial farmacêuticas e planos de saúde, buscam acelerar startups e oferecer soluções, movimentando perto de R$200 bilhões nos próximos 5 anos”, explica Amaral.

O mundo vive hoje o cenário propício para colocar em prática todo o conhecimento e tecnologia apresentada pelas startups, em especial as health techs, “acabando com uma dor”, famoso jargão no mercado, que todos estão sofrendo, inclusive empresas tradicionais do setor.

Portal Saúde Business

About Portal Saúde Business

Formar e informar o executivo de saúde é o que fazemos todos os dias. Há mais de 15 anos desenvolvendo um conteúdo proprietário e centrado nos principais gestores do país, acompanhamos as notícias e tendências que impactarão no dia-a-dia dos hospitais, operadoras, centros diagnósticos, farmacêuticas e clínicas do país.