This site is operated by a business or businesses owned by Informa PLC and all copyright resides with them. Informa PLC's registered office is 5 Howick Place, London SW1P 1WG. Registered in England and Wales. Number 8860726.

Quais desafios enfrentados ao abrir o 1º consultório?

By 20 de setembro de 2013 Empreendedorismo

A maioria dos profissionais de saúde sonha em ter o seu próprio consultório médico. Contudo, enquanto este era uma prática comum no passado, atualmente muitos cuidados tem que ser tomados antes de se realizar este sonho.

O primeiro passo é levantar os custos de manutenção deste espaço, qual será o aluguel mensal, qual será o gasto previsto com secretária, luz, água,  portaria, entre outros. Estes representarão o custo fixo do espaço e não variam independente do número de consultas atendidas. Este custo total é dividido pelo número de consultas, a fim de calcular o custo fixo por consulta. O custo variável é o custo que acontece sempre que uma consulta acontece, sendo representado pelos materiais e demais recursos utilizados. Pode se dizer que é o gasto com luvas, materiais descartáveis e o custo do profissional que está realizando a consulta, entre outros. É importante desde o início ter as relações de trabalho formalizadas, a fim de evitar problemas futuros.

O segundo passo é saber quantas horas por dia este espaço será utilizado e se há a possibilidade de outros profisisonais da mesma especialidade ou de outras compartilharem este espaço. Esta é uma questão fundamental, pois a maioria dos profissionais tem mais de um vínculo de trabalho e o consultório fica diversas horas por dia desocupado, o que aumenta consideravelmente o custo fixo do espaço por consulta, ou seja o custo total do consultório dividido pelo número de consultas. Assim, suponha que um consultório tenha custo fixo de R$6.000,00 e atenda 200 pessoas por mês e tem somente um consultório em que o profisional atua meio período 05 períodos por semana, seu custo fixo por consulta será de R$30. Mais do que isso, consultórios com profissionais de diferentes especialidades e formações tendem a facilitar a vida do paciente e criar um ambiente em que o paciente passa a ter um atendimento mais integral. ebook clinica do amanhã

O terceiro passo é selecionar com quem você vai trabalhar, caso decida não abrir o consultório sozinho. Esta etapa é subestimada pela maioria dos profissionais de saúde, que acabam selecionando seus sócios ou parceiros baseados em sua rede profssional de relacionamento, mas sem levar em consideração os objetivos profissionais de cada um, o que pode gerar conflito. Por exemplo, se você tem um sócio no consultório que não quer trabalhar dois dias na semana no consultório, isto pode afeter negativamente a performance do consultório e aumentar seus custos, então é importante ter uma sociedade com diálogo aberto e constante, a fim de não criar uma situação tensa entre os sócios, mas sem dúvida alguma escolher bem os sócios é fundamental.

O quarto passo é definir qual o público alvo a ser atendido, pois isso determinará a localização da clínica, bem como sua comunicação interna e externa. Uma clínica popular que irá atender um alto volume de pacientes e terá grande circulação de pessoas, tem que ter uma arquitetura diferente do que uma clínica que irá atender um perfil diferenciado de pacientes, em que conhecer os pacientes pelo nome é um diferencial importante. A localização da clínica também e fundamental, pois estar perto de locais com fácil acesso de transporte público pode ser importante para muitos pacientes, bem como ter estacionamento e ser próximo do local de trabalho é  importante para outro público.

No próximo artigo, discutiremos outras etapas importantes para abrir o seu consultório como o marketing.

Tem dúvidas sobre gestão do consultório médico ? Deixe um comentário.

 

Fernando Cembranelli

About Fernando Cembranelli

Leave a Reply