This site is operated by a business or businesses owned by Informa PLC and all copyright resides with them. Informa PLC's registered office is 5 Howick Place, London SW1P 1WG. Registered in England and Wales. Number 8860726.

Como Financiar sua Startup sem Investimento Anjo?

By 18 de julho de 2014 Empreendedorismo
Investimento Anjo

Para muitas startups, buscar investimento anjo é a única solução, mas isso não é uma tarefa fácil no Brasil e, muito menos, na saúde. Uma alternativa em voga nos dias de hoje é o equity crowdfunding, expressão usada em quase todas as discussões sobre financiamento de startups.

A ideia é basicamente conseguir investimento para a sua startup através de crowdfunding, mas, em vez de oferecer brindes para os contribuintes, uma participação societária ser oferecida para os investidores. O JOBS Act, de 2012, nos Estados Unidos, foi criado para garantir um arcabouço legal para este tipo de investimento e vários sites nos EUA e na Europa estão focando nestas atividades como alternativa ao investimento anjo.

Quanto à legislação brasileira, poucos artigos têm se dedicado a entender e incentivas o equity crowdfunding, a instrução CVM 400/2003 dispõe que estão dispensadas do registro de oferta pública de distribuição de valores mobiliários as “empresas de pequeno porte e microempresas, assim definidas em lei”, o que viabiliza a prática, mas, segundo a própria CVM os investimentos deste tipo só podem ser realizados através de uma sociedade limitada, representando problemas para as estruturas de investimento tradicionais e riscos para os empreendedores e investidores.

Segundo um documento publicado pelo Baptista Luz Advogados, “em uma sociedade limitada, os direitos políticos e patrimoniais dos sócios são determinados pela proporção do valor investido (o valor pago por suas quotas) e o valor do capital social, diferentemente do que ocorre em sociedades anônimas, em que os direitos políticos e patrimoniais dos acionistas são determinados pela quantidade e natureza das ações detidas por eles, não havendo necessária relação com o valor pago por tais ações.”

Enquanto a lei brasileira se movimenta para entender esse novo mercado de investimento e não foca somente no investimento anjo, plataformas estão sendo feitas para juntar o contato entre empreendedores que buscam capital e pessoas que querem investir em projetos de inovação. O Broota, por exemplo, pretende facilitar novas conexões e eliminar barreiras, facilitando o caminho de novas ideias e são cobradas taxas (5%) sobre o dinheiro arrecadado pela startup.

Nathalia Nunes

About Nathalia Nunes

Fonoaudióloga formada pela FMUSP, com MBA em Economia e Gestão em Saúde na UNIFESP e apaixonada por comunicação, negócios e tecnologia em saúde. Na Live, trabalho com Marketing, Pesquisa e Conteúdo, tanto na produção de materiais editoriais e de pesquisa, quanto na difusão de temas e ações relacionados a negócios em saúde.

Leave a Reply