This site is operated by a business or businesses owned by Informa PLC and all copyright resides with them. Informa PLC's registered office is 5 Howick Place, London SW1P 1WG. Registered in England and Wales. Number 8860726.

Como Dar Feedback e Unir Sua Equipe?

By 8 de junho de 2014 Empreendedorismo

Saber como dar feedback é uma arte a ser praticada, foi um dos meus maiores aprendizados no MBA. Começo esse artigo com essa frase, pois o objetivo é mostrar a importância dessa ferramenta, e a fórmula que aprendi e pratico.

O feedback é a base de todas as relações interpessoais. É o que determina como as pessoas pensam, como se sentem, como reagem aos outros e, em grande parte, é o que determina como as pessoas encaram suas responsabilidades no dia-a-dia.

Saber como dar feedback é essencial para o trabalho em equipe, o que por sua vez é indispensável a empresas e startups. A comunicação entre essas equipes deve ser baseada em fatos, embora na maioria das vezes ainda são baseadas em sentimentos e opiniões, o que é péssimo de curto a longo prazo para a relação do time.

Justifico abaixo através de exemplos, onde a primeira pessoa (responsável pelo feedback) assume uma forma de dar o feedback e a segunda assume outra ao recebe-lo.

Quando a primeira pessoa se baseia em Opinião

  1. Opinião X Opinião: a chance de se gerar preconceitos é enorme, já que opinião é algo pessoal e subjetivo. Essa intangibilidade e o potencial de divergências, pode criar conceitos viciados na cabeça de ambos.
  2. Opinião X Fatos: se contraposto a fatos, a opinião de uma pessoa perde validade, o que leva a uma atualização de valores.
  3. Opinião X Sentimentos: o desgaste emocional é quase certo, já que são dois lados completamente pessoais, e o último muito emocional.

Quando a primeira pessoa se baseia em Sentimentos

  1. Sentimentos X Opinião: pior que o inverso, essa situação acaba por reforçar o preconceito, pois o líder já oferece o feedback com “pré-conceitos” gerados pelos seus sentimentos frente à situação.
  2. Sentimentos X Fatos: autenticidade. Quando a emoção encontra os fatos, sejam os resultados bons ou ruins, a reação do sentimento será invariavelmente autentica.
  3. Sentimentos X Sentimentos: de longe o pior tipo de feedback que existe, o ressentimento de ambas partes é praticamente certo, já que existem apenas os lados pessoais na mesa.

Quando a primeira pessoa se baseia em Fatos

  1. Fatos X Opinião: como dito antes, a atualização de valores impera nessa relação.
  2. Fatos X Fatos: a melhor de todas as maneiras para se prover/receber um feedback, já que fatos associados a fatos leva a uma constatação da realidade.
  3. Fatos X Sentimentos: quando fatos são apresentados à emoção, a reação natural é ficar atento ao que aconteceu, seja um erro ou uma conquista.

Conclusão, basear feedbacks em fatos é mandatório a qualquer líder. Mas não para por ai, não basta saber que a abordagem deve ser dessa maneira, ela deve ser estruturada, já que não somos máquinas e temos sentimentos, além de se manter o respeito entre as partes.

Para minimizar a chance de se criar indisposições, uso sempre uma fórmula que aprendi durante o módulo de liderança, sobre como dar feedback. A maioria das pessoas acham que basta chamar a equipe, mostrar os números e tudo está ok, mas a realidade nos mostra que não é bem assim. Está no escopo de um líder inspirar, e dar bons feedbacks é uma das melhores ferramentas para isso.

Então, como dar feedback construtivo?

Antes de iniciar um feedback, lembre-se de evitar dar opiniões ou colocar seus sentimentos, evite achismos. Nunca, mas nunca, discuta pontos de vista ou sentimentos, concentrem-se nos fatos.

Se a equipe está alinhada à missão e objetivos da empresa, é certo de que a apresentação dos fatos e números será benéfica e não dará margem a discussões de cunho pessoal e emocional.

  1. Comece por trazer à mesa pontos positivos da equipe/pessoa, enalteça suas conquistas e ações, porém evite ficar muito piegas. Dessa maneira a pessoa torna-se mais aberta a conversas, já que se sente valorizada e notada.
  2. Traga números e métricas. Lembre-se, contra fatos não há argumentos.
  3. Aponte as derrotas e erros do time. Com números e KPIs (key performance indicators – Indicadores chave de performance), fica mais fácil identificar que ações levaram à queda de produtividade e desempenho.
  4. Mostre oportunidades para melhorar. Não adianta apenas criticar se soluções não são apresentadas. Sugira oportunidades de melhoria e superação.

Durante todo processo de feedback, escutar é a habilidade mais importante. Tenha em mente que quem recebe o feedback não tem obrigação de concordar com você, estando certo ou errado. Respeite.

Procurar por feedbacks é muito importante. Grandes líderes buscam feedbacks nas mais diversas fontes, sejam em seus funcionários mais baixos ou em mentores. O mais importante é lembrar que você pode discordar dos feedbacks recebidos, mas evite entrar em discussões. Ao terminar, agradeça.

Como pode notar, saber como dar feedback é importante, e uma arte a ser praticada. Por isso fico curioso, como você dá e recebe feedbacks?

Raphael Gordilho

About Raphael Gordilho

Médico com MBA em Marketing, Raphael co-fundou a Live Healthcare, empresa responsável pelo Saúde Business Fórum, Healthcare Innovation Show e Portal SaudeBusiness.com. Em 2018 a empresa se juntou a Feira Hospitalar, no portfólio de saúde da UBM Brazil e posteriormente Informa Exhibitions. Hoje Raphael é Head of CX, onde é responsável pela experiência dos clientes em todos os canais digitais e offline.

Leave a Reply