This site is operated by a business or businesses owned by Informa PLC and all copyright resides with them. Informa PLC's registered office is 5 Howick Place, London SW1P 1WG. Registered in England and Wales. Number 8860726.

O prontuário eletrônico também pode ser fonte de conhecimento clínico

By 19 de novembro de 2019 Colunas, Destaques

Já imaginou ter em seu consultório uma base de conhecimento clínico capaz de sanar qualquer dúvida no intervalo entre consultas e até no momento do atendimento? Ou até mesmo checar interações medicamentosas, acessar fotos e aulas sobre diversas questões clínicas, verificar protocolos de atendimento para cada doença, capítulos de livros e até podcasts sobre o assunto?

Pode-se pensar que tudo isso já está disponível no Google, mas a realidade é que, tratando-se de atendimento clínico, é essencial que o conteúdo seja preciso, checado e que tenha curadoria realizada também por profissionais de saúde. Essa é uma realidade comum nos EUA e Europa. A fusão das ferramentas de atendimento clínico, como o prontuário eletrônico, com plataformas de conhecimento clínico geradas por faculdades de medicina e empresas especializadas já é um cenário consolidado – e finalmente está chegando ao Brasil.

A possibilidade de médicos e profissionais de saúde acessarem no próprio prontuário diferentes bases de conhecimento reduz a fadiga no momento do atendimento e diminui o stress ao encontrar uma situação ou caso não usual, já que o conhecimento estará disponível a poucos cliques de distância.

Hoje, ter a informação adequada e disponível rapidamente não é importante apenas no ambiente corporativo. O médico também precisa ter diferentes conteúdos em mãos para conseguir realizar o melhor atendimento e tratamento a seus pacientes. A área de saúde passou por grandes transformações nos últimos anos e os profissionais precisam se atualizar constantemente em relação às novidades, tendências e pesquisas que surgem constantemente. Dessa forma, encontrar ferramentas que aproximam o conhecimento de seu dia a dia pode ser um diferencial e tanto em seu trabalho.

Uma pesquisa realizada pela agência McCann Health com médicos brasileiros reforça essa ideia: 99% deles acreditam que a tecnologia facilitou o trabalho clínico. O principal benefício é justamente a possibilidade de se manter atualizado às tendências na área: 85% deles utilizam a Internet para realizar cursos online. Ter acesso a estas tecnologias otimiza e melhora o atendimento ao paciente. O estudo TIC Saúde 2018, realizada pelo Cetic.br mostra que quatro em cada dez médicos brasileiros reduziram a carga de trabalho com o uso de computador e acesso à Internet durante as consultas.

É inegável que um dos impactos da tecnologia nos consultórios é a possibilidade de permitir que os médicos possam consultar, enquanto atendem seus pacientes, diferentes conteúdos sobre diagnósticos e doenças em publicações especializadas da área. A questão é que, atualmente, esses profissionais lidam com uma grande quantidade de dados das pessoas. Logo, não adianta ter todos estes procedimentos digitalizados se estiverem hospedados em diferentes plataformas. Na era digital, é preciso encontrar ferramentas que cruzam essas informações em uma mesma fonte – papel que pode ser executado pelo próprio prontuário eletrônico.

Esta solução já é uma realidade na grande maioria dos consultórios do país e trouxe inúmeras facilidades aos profissionais ao armazenar e facilitar o acesso ao histórico do paciente, receitas, diagnósticos, dados cadastrais, financeiros, entre outros. Contudo, o prontuário eletrônico tem que ser mais do que um repositórios de dados. Os melhores provedores conseguem integrar diferentes serviços no sistema, como acesso a conteúdos clínicos de qualidade sem a necessidade de sair da plataforma. Assim, a ferramenta permite o cruzamento das informações clínicas das pessoas com o conhecimento clínico disponível no portal.

A partir do momento em que o médico consegue agrupar e acessar todas estas informações rapidamente, seu trabalho torna-se mais ágil e prático – refletindo no atendimento aos pacientes. As consultas, por exemplo, ficam mais rápidas sem perder a qualidade na prestação de serviço. Pelo contrário, é possível receitar medicamentos e identificar diagnósticos mais precisos. O profissional também pode se atualizar sem a necessidade de se deslocar do seu expediente, permitindo que sua agenda esteja disponível para o atendimento à população. Por fim, ele também consegue se atualizar mais rapidamente sobre as novidades de sua área.

Na era da conectividade, saber lidar com as diferentes informações disponíveis em sua rotina é o diferencial para profissionais – e na medicina não é diferente. Durante o período da faculdade e da residência, eles são treinados para diagnosticar doenças e pensar os melhores tratamentos em inúmeros problemas. A questão é que, sozinhos, essa tarefa é mais árdua. O importante é recorrer à tecnologia capaz de combinar todos os dados essenciais e, assim, conseguir fazer aquilo que ele realmente está preparado: oferecer mais qualidade de vida à população.

Tiago Delgado

About Tiago Delgado

Tiago Delgado é sócio-fundador da Medicina Direta, empresa especializada em gestão e serviços digitais para clínicas e consultórios. É formado em Comunicação Social pela ESPM e Mestre em Marketing pela Universidade de Birmingham, na Inglaterra. No Reino Unido, atuou como gerente de comunicação de contas como Mercedes-Benz e Audi.

Leave a Reply