This site is operated by a business or businesses owned by Informa PLC and all copyright resides with them. Informa PLC's registered office is 5 Howick Place, London SW1P 1WG. Registered in England and Wales. Number 8860726.

EmpreenderSaúde diretamente da Carolina do Norte, reflete sobre o Obamacare!

By 4 de julho de 2012 Colunas

Nossa, após uma ausência considerável, volto com prazer a escrever para o EmpreenderSaúde com muitas novidades. Em Junho, me mudei para Durham na Carolina do Norte para fazer o MBA em Duke e é impressionante como a vida mudou. Da agitação de São Paulo para a calma de uma cidade com menos de 400.000 habitantes e muito, mas muito verde!

Recém-casado, estamos começando vida nova em um novo apartamento, correndo para instalar  internet, TV a cabo, energia, abrir conta de luz, tudo isto antes do começo das aulas.

Sempre  escutei falar que morar fora é bom, deve ser mesmo, porquê você passa diariamente por pequenos, médios e grandes desafios neste novo ecossistema.

Semana passada e esta semana, os americanos estão muito agitados com a aprovação do Affordable Care Act ou, popularmente, Obamacare. Hoje há’250 milhões de americanos com seguro saúde e o objetivo desta medida é cobrir os demais 40 milhões de usuários que não possuem seguro saúde. Como ? Com um incrível aumento de impostos e tornando o seguro saúde obrigatório, ou seja, se você não tiver, vai pagar uma multa. Fiz o seguro do meu carro hoje e sem ele não poderia dirigir NENHUM carro, a não ser carros de aluguel, pois se eu bater em alguém tenho que ter recursos para cobrir as perdas que eu gerar. O mesmo raciocínio foi utilizado para o seguro-saúde, o problema é que na visão americana, esta lei fere a liberdade individual, na medida que um indidvíduo deve ser penalizado pelas suas escolhas. O grande problema é que nos EUA é muito fácil uma pessoa ir à falência, se não tiver seguro médico e as seguradoras podiam decidir não cobrir mais um indivíduo a qualquer momento.

Ou seja, muitas das regulamentações e proteções que temos em função da ANS no Brasil, os americanos só passarão a ter a partir de agora, porque até então as seguradoras tinham MUITA liberdade. Assim, escolher um plano de saúde aqui é um verdadeiro desafio e a política de preços segue uma lógica que é difícil de entender. Para a minha esposa estarei pagando 2,5 vezes o preço que estarei pagando para mim, sendo que estamos na mesma faixa etária. Arbitrariedade? Sem dúvida, fora que para a maioria dos procedimentos existe co-pagamento.

Assim, as impressões iniciais são de que o MERCADO DE SAÚDE americano não é apenas grande, é COLOSSAL! Com muito foco no SEGURO e pouco foco na SAÚDE. Sustentável? Não certamente este sistema não e sustentável, pois os gastos continuarão crescendo e a população envelhecendo com hábitos de vida muito pouco saudáveis. Para cada academia que existe em São Paulo, existe um restaurante de fast-food aqui e o IMC médio da população aumenta ano a ano.

Logo, tenho certeza que aprenderei muito aqui, mas me dá orgulho de ver o quanto a saúde pública e suplementar brasileira pode ensinar para esta e tantas outras nações!

Da quentíssima Durham,

Fernando Cembranelli

Equipe EmpreenderSaúde

 

 

 

Fernando Cembranelli

About Fernando Cembranelli

Leave a Reply