This site is operated by a business or businesses owned by Informa PLC and all copyright resides with them. Informa PLC's registered office is 5 Howick Place, London SW1P 1WG. Registered in England and Wales. Number 8860726.

A cada passo uma crise – Como crescem as empresas – Carlos Miranda (BR Opportunities)

By 9 de novembro de 2011 Colunas

Assim como os seres humanos, organizações têm ciclos de vida com etapas muito bem definidas assim como crises para cada uma delas. 

Durante a nossa infância, o nosso crescimento é acelerado, temos poucas ou nenhuma responsabilidade, acumulamos uma grande quantidade de informação em um curto período e somos potencialmente seres vencedores. No entanto, no mesmo período, somos muito mais frágeis a doenças e mais dependentes dos outros.

Na fase da juventude, as responsabilidades vão se acumulando gradativamente, temos que dar satisfação a mais pessoas e passamos a organizar, ainda que de forma muito simples, algumas atividades de nossa vida.

Essas etapas e transformações também carregam várias crises que antecipam as mudanças ou que são geradas logo após as mesmas ocorrerem.

 

Bons educadores, médicos, pais ou qualquer pessoa envolvida com o crescimento de um indivíduo, baseado em anos de estudos e observações, saberá os marcos das mudanças e também terá essas crises mapeadas, podendo antecipá-las e, claro, fazer a pessoa tirar o melhor proveito das mesmas.

Alguns autores de administração como Churchill e Lewis, entenderam esses processos nas empresas empreendedoras e identificaram algumas etapas e características dos empreendedores e das organizações que são:

Existência

Nessa etapa a preocupação é sobreviver, a empresa é toda controlada pelo empreendedor, não existem controles formais e o negócio é dependente do dono e confundido com o mesmo. Nesse momento ainda há poucos colaboradores que são facilmente gerenciados pelo fundador.

 

Sobrevivência

Nessa fase a estratégia principal é sobreviver. A empresa começa a se organizar, já há alguns sistemas formais, alguns gerentes e temos uma das primeiras crises que é a necessidade de liderança. Aqui a organização está na fase onde o empreendedor ainda é o DONO mas tem, mesmo que com relutância, passar a delegar obrigações e mais importante e mais difícil, PODER.

 

Sucesso

Na fase de sucesso a estratégia principal é crescer, manter a rentabilidade e, eventualmente, buscar recursos para financiar esse crescimento. Nesse momento o empreendor começa a ter a certeza que não conseguirá atender a todas as competências necessárias para o crescimento de seu negócio e que é cada vez menos DONO do mesmo. Ao mesmo tempo, já superada a crise da necessidade de delegar tarefas, passa a conviver com a crise de ter que lidar com uma grande quantidade de formalizações que a organização passa a exigir.

 

Decolagem

Agora a palavra de ordem é crescer. Os gerentes passam a tomar decisões estratégicas, a figura do empreendedor não é mais decisiva para o sucesso das operações e os sistemas já devem ser mais robustos. Aqui a crise, assim como no dia que nossos filhos entram na universidade ou saem de casa, é o empreendedor saber lidar com o fato de que a sua criação cresceu e que tomará rumos nem sempre definidos por ele.

 

Maturidade de Recursos

Finalmente chega a fase da maturidade. A estratégia é melhorar o retorno sobre o investimento para todos os interessados no negócio, o estilo de gerenciamento é baseado em equipes, provavelmente o empreendedor estará no conselho, e chega a crise que será o diferencial para a empresa, assim como para os homens, de morrer ou perdurar por várias gerações, uma necessidade de revitalização. Aqui a organização tem que voltar a lembrar de suas origens, de que nasceu de um sonho de um empreendedor e procurar trazer esse desafio para todos os gerentes e colaboradores. Empreender dentro da organização.

 

Realmente as crises e os desafios não são fáceis mas, assim como quem decide ter um filho e criá-lo, criar e crescer uma organização implicará em sacrifícios, desapegos e decisões, quase sempre, muito difíceis. Mas o resultado, tenha certeza, será de uma realização indescritível.

 

Carlos Alberto Miranda é Mestre em Administração de Empresas e possui MBA em Finanças pelo IBMEC RJ. Foi sócio da Ernst&Young e responsável pelo Premio Empreendedor do Ano durante 5 anos. Atualmente é CEO da gestora de Venture Capital BR Opportunities, é do Comitê de Empreendedorismo e Capital Semente da ABVCAP e Voluntário da Endeavor.

Empreender Saúde

About Empreender Saúde

Leave a Reply