✉️ NEWSLETTER Assine gratuitamente e atualize-se semanalmente Assinar

A “Amazonização” da Saúde

Publicidade

As seis maiores empresas do mundo em 1967 eram: IBM, AT&T, Eastman Kodak, GM, Standard Oil e Texaco. Cinquenta anos depois, as seis maiores empresas em 2017 já eram outras bem diferentes: Apple, Alphabet (holding do Google), Microsoft, Amazon, Facebook e Berkshire Hathaway (leia-se Warren Buffet) [1]. Vemos aqui uma grande reviravolta em cinquenta anos com cinco grandes empresas de tecnologia dominando as cinco primeiras posições de 2017 e quatro delas grandes “fiadoras” da tecnologia de “machine learning” [1.1] da Inteligência Artificial (IA) como a Alphabet, Microsoft, Amazon e Facebook.

O mercado automobilístico está passando por uma grande transformação nos últimos anos. Por exemplo: (a) a desconhecida Tesla fundada pelo “empreendedor serial” sul-africano Elon Musk [2] atualmente é maior em capitalização que as gigantes GM, Ford e BMW [3]; (b) a desconhecida startup Waymo (do grupo Alphabet) atualmente é a líder do mercado mundial de “carros autônomos” [4] – que devem estar no mercado por volta de 2026 – na frente da Ford [5] e da GM; (c) a desconhecida startup Zoox fechou um pacote de investimentos de 500 MUS$ para prestar serviços de transportes (“ride-hailing service”) com carros elétricos autônomos em 2020 [6]; (d) o mercado automobilístico sofrerá uma grande transformação nos próximos anos com novos modelos de negócios e onde o modelo de propriedade do “bem carro” será questionado frente ao modelo de prestação de serviço [7].

O segmento de Saúde está mal e sendo questionado em todo o mundo … ponto! Ninguém aguenta mais os altos valores pagos pelos serviços de saúde e o mercado reclama que não está podendo mais bancar os custos da chamada “inflação médica”. As mudanças nesse segmento são inadiáveis! O mercado mundial está “sentindo” que ocorrerá algo similar na Saúde nos próximos anos ao que aconteceu (e está acontecendo) no mercado automobilístico como vimos acima. Uma presença cada vez maior da tecnologia (com uma forte utilização da IA, a entrada de novos players no negócio (notadamente os “mamutes” da tecnologia – conhecidos como “tech titans”) [8] e, bem como, o surgimento de novos modelos de negócios. Veja mais aqui nestas referências interessantes sobre a disrupção atual que está acontecendo na saúde e os principais players [8.1 e 8.2].

Como a saúde é uma indústria que depende de registros dos pacientes (prontuários médicos e outras informações médicas) e é cercada por tecnologia ultrapassada, acredita-se que a saúde seja um alvo importante para uma revolução da IA (como já tem sido ensaiado em vários exemplos). Muitos acreditam que a tecnologia da IA proporcionará uma série de benefícios aos clínicos, acelerando a experiência geral e diagnosticando doenças precocemente para identificar possíveis tratamentos. A evolução tecnológica já tem mostrado que a IA pode analisar problemas de saúde com a mesma precisão de um médico [8.3]. Mas alguns médicos temem que os profissionais do mundo de tecnologia pensem que a IA não só pode ajudar os médicos, mas até mesmo, fazer um trabalho melhor. Atualmente já existe uma discussão se a IA pode substituir os médicos [8.4].

O início da “chacoalhada” no mercado de saúde começou em junho do ano passado quando a Amazon comprou um grande varejista americano chamado Whole Foods por 13,7 BUS$ 13,7 [9]. Depois desta aquisição diversos boatos começaram a surgir no mercado americano que a Amazon pretendia entrar no negócio de medicamentos para corporações conhecido como PBM (“Pharmacy Benefit Management”) [10]. Em junho desse ano, a Amazon adquiriu o varejista “online” de medicamentos conhecido como PillPack por um valor estimado abaixo de 1,0 BUS$ [11]. Os grandes competidores no mercado americano de PBM – a CVS e a Wallgreens – já começaram a se movimentar adotando tarifas competitivas na distribuição de medicamentos [12]. Adicionalmente ao movimento no mercado de medicamentos, a Amazon fez uma incursão de mestre no mercado de saúde em janeiro desse ano quando se associou aos pesos pesados JP Morgan Bank e a Berkshire Hathaway formando um triunvirato para anunciar que – insatisfeitos com o alto custo dos serviços – vão ofertar serviços de saúde próprios para as empresas do grupo. Grande sacada que pode mudar o mercado de prestação dos serviços de saúde no futuro! [13] O mercado espera muito da combinação dos diferenciais dessa parceria: tecnologia (cortesia da Amazon), escala (cortesia das três empresas que agregam 1 milhão de empregados) e a perspicácia financeira e a atuarial (cortesia das proezas financeiras e de seguros do JPMorgan e da Berkshire Hathaway). Recentemente, a Amazon anunciou que vai testar o fornecimento de serviços de saúde próprios independente das grandes operadoras americanas de saúde na sua operação em Seattle onde fica a sua sede [14]. Também recentemente, a Amazon contratou para seu time de saúde o renomado cardiologista Maulik Majmudar que era diretor do laboratório de saúde do Hospital Geral de Massachussets [14.1].

O forte interesse da Amazon já é conhecido pelo mercado que já deu margem para a criação de um neologismo na saúde. O pessoal do Centro Médico da Universidade de Pittsburgh (UPMC) cunhou o termo “Amazonização” da Saúde … show né?! A UPMC é um dos maiores sistemas de saúde dos EUA, e de ciência em computação e ciências da vida de suas duas universidades importantes, a Universidade Carnegie Mellon (CMU) e a Universidade de Pittsburgh. O que esse termo quer dizer? Significa que no futuro as pessoas vão acessar tudo sobre sua saúde de forma on-line, desde seus planos de seguro de saúde até os seus registros de saúde, cuidados preventivos e programas de tratamento … feito. A nova terminologia “Amazonição” da Saúde está criada! [15]

Além dos movimentos da Amazon, o setor de Saúde tem sido impactado adicionalmente por uma série de movimentos diferenciados nos últimos meses e alguns deles ameaçando o “deixar rolar” de acomodação em “berço esplêndido” típico do setor. Esses movimentos já estão incomodando as grandes incumbentes da saúde.

A seguir destacamos alguns desses movimentos. Entre eles citamos: (a) o Google começa a apostar na área de seguros de saúde investindo na Oscar Health [16]; (b) alguns pesos-pesados de tecnologia incluindo entre eles Alphabet (holding do Google), Amazon e Microsoft querem estimular o compartilhamento dos registros médicos dos pacientes americanos agindo contra o poder de poucas empresas (como Epic e Cerner) que detêm a hegemonia no controle daqueles registros [17]. Isso destaca uma grande tendência: o forte interesse do mercado mundial nos registros médicos de pacientes; (c) a Apple também está muito interessada nos registros médicos dos pacientes através do uso do seu iPhone [18]; (d) a Apple também continua firme no seu interesse no segmento de saúde. Recentemente foi veiculado na mídia que ela tem interesse no projeto de um “chip” de saúde. Aparentemente ele estaria associado com o interesse da Apple estria associado com o processamento de dados biométricos através da sua suíte de dispositivos [19]; (e) a GM – de maneira similar a Amazon – está testando um projeto piloto para o atendimento de saúde primária em Michigan se desvencilhando das tradicionais operadoras de saúde americanas [20]. O movimento da GM deverá estimular outras grandes corporações o que vai impactar no negócio das operadoras de saúde; (f) um outro movimento inovador foi a reação da operadora de saúde incumbente UnitedHealthcare (leia-se Amil e Grupo Santa Helena no Brasil) que reagiu ao movimento da Amazon no mercado de medicamentos e está adquirindo a Genoa Healthcare que possui 400 farmácias atuando no mercado de saúde mental [21] e (g) recentemente tivemos uma estreia nessa lista de uma nova grande empresa de tecnologia. Agora é a vez do Facebook. A empresa estabeleceu o ambicioso objetivo de fazer exames de ressonância magnética (MRI) até dez vezes mais rápidos do que são atualmente realizados através do uso da tecnologia de IA – um projeto em colaboração com a Universidade de Nova Iorque (NYU). [21.1]

Como vimos acima o mercado de saúde mundial se encontra em grande transformação e os movimentos destacados devem aparecer de alguma forma no Brasil. Esperemos para ver como eles chegarão por aqui!

Além dos movimentos inovadores de modelos de negócios e a participação de novos entrantes no mercado, um capítulo à parte na saúde é a utilização cada vez maior da tecnologia de IA. Recentemente, a startup britânica DeepMind do Google conseguiu uma façanha expressiva ao diagnosticar doenças na visão com uma precisão muito expressiva. Ela criou um algoritmo de IA que poderia aprender a ler varreduras complexas do olho humano e detectar mais de 50 condições do olho com precisão alta de 94% [22 e 22.1]. A IA será uma tecnologia MUITO “quente” na saúde e terá um impacto muito grande nessa área! [22.2]

Um outro tema que tem atraído muito interesse na “agitação” atual da saúde é a análise preditiva (“predictive analytics” também conhecida como “big data analytics”) à medida que a saúde muda o seu foco de gestão e passa a ser orientada a remuneração por resultados (“value based care”) em substituição à modalidade “fee-for-service”. O grande interesse atual no modelo baseado em desempenho coloca um foco maior nos resultados e na eficiência dos serviços de saúde. O ideal é o paciente ir a consultas e fazer testes preventivos. O paciente não iria ao pronto-socorro a menos que tenha uma emergência real, porque esse atendimento é mais caro. O objetivo é que muitos pacientes usem todos os serviços de que necessitam e tenham melhores resultados [23]. O futuro da medicina personalizada será suportado pela análise preditiva na saúde [24].

Mas o que é análise preditiva? A maioria dos líderes de negócios já tem um bom controle sobre as análises e as maneiras pelas quais os padrões de dados podem ser estudados para melhorar o desempenho dos negócios. A análise preditiva, por outro lado, permanece um mistério para muitos gerentes e executivos. No entanto, a diferença entre a análise tradicional e a análise preditiva é realmente muito simples: embora a análise tradicional seja normalmente usada para obter “insights” sobre o aqui e agora sobre os dados, a análise preditiva ajuda aos usuários a investigar o comportamento futuro para prever tendências e comportamentos prováveis.

A análise preditiva utiliza várias modelagens estatísticas e outras técnicas matemáticas para examinar os dados atuais e passados e prever o que deve acontecer em um horizonte específico com base nos parâmetros fornecidos. Para hospitais e clínicas, os modelos preditivos podem ser usados para explorar padrões encontrados em dados históricos e transacionais com o objetivo de identificar riscos e oportunidades nas operações diárias e no atendimento ao paciente.

A análise preditiva é uma ferramenta poderosa e altamente muito útil na saúde e pode levar a benefícios impressionantes.

Finalmente, teremos uma grande transformação na saúde com o objetivo de reduzir o alto custo na prestação dos serviços e na busca pela melhoria de desempenho. A chegada de novos players (como as grandes empresas de tecnologia) e aumento do uso da tecnologia de IA na manipulação do grande volume dos dados médicos serão benvindos!
Referências:

[1] Most Valuable U.S. Companies Over 100 Years, Visual Capitalist, 14.nov.2017

Most Valuable U.S. Companies Over 100 Years

[1.1] Machine Learning, Jason Mayes (Senior Creative Engineer do Google, December 2017
https://docs.google.com/presentation/d/1kSuQyW5DTnkVaZEjGYCkfOxvzCqGEFzWBy4e9Uedd9k/preview?slide=id.g168a3288f7_0_58

[2] Elon Musk, Wikipedia
https://en.wikipedia.org/wiki/Elon_Musk

[3] A Nova “Economia de Dados” e a Saúde, Saúde Business, 25.jul.2017

A Nova “Economia de Dados” e a Saúde

[4] Who’s Winning the Self-Driving Car Race?, Bloomberg, 07.may.2018
https://www.bloomberg.com/news/features/2018-05-07/who-s-winning-the-self-driving-car-race

[5] Ford says slow and steady will win the self-driving car race, The Verge, 16.aug.2018
https://www.theverge.com/2018/8/16/17693866/ford-self-driving-car-safety-report-dot

[6] Self-driving car startup Zoox is raising $500 million at a $3.2 billion valuation, TechCrunch, 17.jul.2018

Self-driving car startup Zoox is raising $500 million at a $3.2 billion valuation

[7] Automotive revolution – perspective towards 2030, McKinsey, January 2016 [pdf]
https://www.mckinsey.com/~/media/mckinsey/industries/high%20tech/our%20insights/disruptive%20trends%20that%20will%20transform%20the%20auto%20industry/auto%202030%20report%20jan%202016.ashx

[8] When tech titans override the incumbents: the self-driving car story here, which is going to repeat in #healthcare


the @WSJ Saturday essay
Late to the Driverless Revolution, Wall Street Journal, 15.aug.2018
https://www.wsj.com/articles/late-to-the-driverless-revolution-1534520404?mod=searchresults&page=1&pos=1

[8.1] Which new healthcare entrant will make the biggest splash?, MedCityNews, 20.aug.2018

Which new healthcare entrant will make the biggest splash?

[8.2] Healthcare Disruption Report, Reaction Data, August 2018 [sobre registro grátis]
https://www.reactiondata.com/report/healthcare-disruption/?download?download

[8.3] Deep learning algorithm does as well as dermatologists in identifying skin câncer, Stanford, 25.jan.2017

Artificial intelligence used to identify skin cancer

[8.4] Why AI will not replace radiologists, Towards Data Science, 24.jan.2018
https://towardsdatascience.com/why-ai-will-not-replace-radiologists-c7736f2c7d80

[9] Amazon is buying Whole Foods for $13.7 billion, CNBC, 16.jun.2017
https://money.cnn.com/2017/06/16/investing/amazon-buying-whole-foods/index.html

[10] Amazon is taking on the drug supply chain, says report, CNBC, 20.sep.2018
https://www.cnbc.com/2017/09/20/amazon-in-talks-with-pharmacy-benefits-managers-pbms.html

[11] Amazon shakes up drugstore business with deal to buy online pharmacy PillPack, CNBC, 28.jun.2018
https://www.cnbc.com/2018/06/28/amazon-to-acquire-online-pharmacy-pillpack.html

[12] Amazon: How The PillPack Acquisition Is Shaking Up The Health Care Sector, CNBC, 03.jul.2018
https://www.forbes.com/sites/johnbuckingham/2018/07/03/amazon-how-the-pillpack-acquisition-is-shaking-up-the-health-care-sector/#5a97ff922adb

[13] Amazon, Berkshire Hathaway, and JPMorgan Chase to partner on US employee health care, CNBC, 30.jan.2018
https://www.cnbc.com/2018/01/30/amazon-berkshire-hathaway-and-jpmorgan-chase-to-partner-on-us-employee-health-care.html

[14] Amazon has plans to open its own health clinics for Seattle employees, CNBC, 09.aug.2018
https://www.cnbc.com/2018/08/09/amazon-plans-primary-care-clinics-employees.html?__source=sharebar|twitter&par=sharebar

[14.1] Amazon hires a star cardiologist to help its push into health, CNBC, 20.aug.2018
https://www.cnbc.com/2018/08/20/amazon-hires-star-cardiologist-maulik-majmudar.html

[15] Harnessing medical data will transform access to healthcare, Financial Times, 30.jul.2018
Patients could have ‘Amazon-style’ digital access to insurance, records and treatments
https://www.ft.com/content/5c1306e6-72f1-11e8-bab2-43bd4ae655dd

[16] Alphabet puts another $375 million into Josh Kushner’s Oscar Health, just months after previous investment, CNBC, 14.aug.2018
https://www.cnbc.com/2018/08/14/alphabet-invests-375-million-in-josh-kushner-founded-oscar-health.html

[17] Amazon, Alphabet, Microsoft and other tech giants want to fix one of the most broken things about health care, CNBC, 13.aug.2018
https://www.cnbc.com/2018/08/13/amazon-alphabet-microsoft-health-data-pledge.html

[18] Apple is quietly working on turning your iPhone into the one-stop shop for all your medical info, CNBC, 14.jun.2017
https://www.cnbc.com/2017/06/14/apple-iphone-medical-record-integration-plans.html

[19] Apple wants to build a custom health chip for processing biometric data, The Verge, 14.aug.2018
https://www.theverge.com/2018/8/14/17689716/apple-watch-iphone-custom-health-chip-biometric-data

[20] In a first for Michigan, Henry Ford Health signs direct contract with GM, Chicago Business, 06.aug.2018
http://www.chicagobusiness.com/health-care/gm-tries-new-tactic-lower-health-care-costs

[21] Scoop: UnitedHealth is buying pharmacy operator Genoa, Axios, 08.aug.2018
https://www.axios.com/scoop-unitedhealth-is-buying-1533672450-abbb2fb2-ccbe-4d86-bb54-1ca9bbf1ea84.html

[21.1] Brainstorm Health: Facebook MRI AI, EpiPen Expiration Extension, Implantable Sensors, Fortune, 21.aug.2018
http://fortune.com/2018/08/21/brainstorm-health-daily-08-21-18/

[22] Google’s DeepMind To Create Product to Spot Eye Disease
Clinical trial next for DeepMind project with U.K.’s Moorfields Eye Hospital, Bloomberg, 13.ag.2018
https://www.bloomberg.com/news/articles/2018-08-13/google-s-deepmind-to-create-product-to-spot-sight-threatening-disease

[22.1] A major milestone for the treatment of eye disease, DeepMind, 13.aug.2018
https://deepmind.com/blog/moorfields-major-milestone/

[22.2] Sensyne Health’s IPO: AI in Healthcare is Hot, BioSpace, 20.aug.2018
https://www.biospace.com/article/sensyne-health-s-ipo-ai-in-healthcare-is-hot/

[23] How Analytics Supports Value-Based Healthcare, Information Week, 16.aug.2018
https://www.informationweek.com/big-data/big-data-analytics/how-analytics-supports-value-based-healthcare/d/d-id/1332568

[24] The Future of Personalized Healthcare: Predictive Analytics, Rock Health, 2015

The Future of Personalized Healthcare: Predictive Analytics

       
Publicidade

Deixe uma resposta