Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

Yes, nós temos banana!

Publicidade

Na época da hiperinflação havia uma brincadeira popular para definir o poder de o Brasil continuar de pé a despeito da situação vivida naquele momento: ?o Brasil é feito de cortiça. Não afunda!?

Pois é, passados tantos anos, planos econômicos e diante de uma realidade de momento totalmente diferente, o filme se repete. Estamos vivenciando um momento sui generis de operações governamentais disfarçadas, certificações que de pouco ou nada servem e as empresas acabam por serem as primeiras vítimas dos atrasos nas liberações das importações, seja de matérias primas, partes peças e componentes para a indústria nacional ou de produtos acabados para os importadores, fluxos de caixa interrompidos, lançamentos de produtos atrasados ao sabor dos atrasos nas auditorias de BPF que seguem com monumentais atrasos e as desculpas de sempre, obrigando aos que podem dispor de mais dinheiro para recorrer ao Judiciário e lá obter a segurança jurídica que seus negócios precisam, sem contar com processos de certificações duvidosos de baixo padrão e que também sofrem atrasos.

Quem não pode, senta, chora e espera, vendo seu patrimônio de anos se dilapidar diante da imobilidade das autoridades. De outro lado, sofre a população que vê sua direito de acessar os produtos barrada por um governo que decidiu intervir na vida de todos, sob o pretexto de proteger a indústria nacional e o país contra tudo e contra todos. Em verdade, falta uma política estruturada de reação aos milhões de dólares que entram no país todos os dias. Some-se a isso uma política tributária que destrói as empresas de dentro para fora e de fora para dentro. Dormimos com o inimigo e apontamos o dedo para o vizinho…

Vivemos uma situação nunca experimentada antes: fluxo positivo de dólares. Não somos mais capazes de tomarmos conta das nossas próprias vidas. Tem sempre algum iluminado do outro lado, com uma estrelinha de xerife, nos dizendo o que, como e quando fazer. Isso tem que acabar. Se vivemos num Estado Democrático de Direito, então alguma coisa está errada. Ou não vivemos?? Se esse cenário perdurar por mais algum tempo, não nos restará outra opção senão colocar um turbante a la Carmen Miranda e sair cantando Yes, Nós Temos Banana. Porque é só o que vai sobrar.

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta