Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

Realidade de hospital mostra a importância da logística

Publicidade

Uma investigação do Ministério Público Federal (MPF), realizada no Hospital Federal do Andaraí, no Rio de Janeiro, no início deste mês, revela o quanto a logística hospitalar é primordial nas instituições de saúde. Na inspeção, constatou-se que faltavam medicamentos básicos, como dipirona e tramal, e insumos ? próteses ortopédicas, gaze e até extensores para administração de remédios via parental.

O caso remete ao conceito básico da logística hospitalar, da importância do controle do fluxo de materiais e medicamentos em toda a cadeia a fim de garantir que a necessidade de insumos do hospital seja aferida em tempo real e possibilite a aquisição desses itens em tempo hábil para atender aos pacientes. A gestão logística inclui desde a geração de informação da demanda para a compra, o acompanhamento dos prazos de entrega dos fornecedores, a responsabilidade pelo recebimento e conferência de tudo o que foi solicitado e do que foi efetivamente entregue, os cuidados para armazenar, a separação dos pedidos e, por último, a distribuição dos insumos para uso nos pacientes. Dessa forma, é possível evitar a falta de produtos, extravio dentro da cadeia de abastecimento e desperdícios de insumos e recursos. A grande função da gestão logística é, através de automação e utilização de datamatrix ou códigos de barras tradicionais, fazer o rastreamento de todos os
insumos, da origem até o paciente e certificar-se de que o paciente certo recebeu o produto certo no momento certo, evitando assim situações como a diagnosticada pela MPF no Hospital de Andaraí.

A situação flagrada pelo MPF nos Hospital do Andaraí nos mostra o quanto é necessário um sistema de logística eficiente. Lá, a própria administração informou que faltavam no almoxarifado 38 itens diferentes, e, na farmácia, 14 tipos de medicamentos. O órgão ainda constatou que os insumos adquiridos estavam estocados no subsolo do prédio, de forma imprópria, junto com
sujeira, umidade, tubulações e fios elétricos aparentes. Além disso, foram encontradas mais de dez caixas de sondas que haviam sido descartadas devido a uma recente infestação de cupins.

Este é mais um exemplo de como a logística hospitalar precisa ser encarada com seriedade. E aponta ainda que, a opção de terceirizar esse serviço, que é de vital importância quando se trata de atendimento em saúde, é cada vez mais uma medida altamente recomendada.

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta