Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

Para entender melhor o que fazem os arquitetos!!!

Publicidade

Meu filho está estudando Arquitetura porque desde criança aprendeu sozinho a desenhar bem!!! Esta expressão tem sido comumente ouvida, embora não venha a retratar o papel maior de um profissional Arquiteto, quase sempre interpretado como um ?desenhista de plantas?.

Um arquiteto constrói sua capacitação enveredando e se aprofundando continuamente em duas áreas-chave do conhecimento: a humanista e a técnica.

O foco maior de seu trabalho é o HOMEM, com suas culturas e comportamentos observados tanto individual como coletivamente. A sociologia, a estética, a psicologia e o ambiente construído, exigem que o Arquiteto seja um ?analista do comportamento humano? compreendendo, observando e simulando como as pessoas venham a perceber e atuar nos espaços que serão ou já estão sendo ocupados, com uma ampla visão humanística.

O conhecimento técnico concentra o saber sobre a edificação, concebida em sua organização espacial para plasmar seus ocupantes quando contemplados pelo adequado atendimento aos aspectos ergonômicos e ecológicos dos ambientes. Estes por sua vez exigem para sua edificação um conhecimento técnico que se aprimora a cada momento, sobre as tecnologias construtivas de estruturas, fechamentos e acabamentos, acrescidos pelas recomendações relativas às instalações prediais e especiais.

Compete ainda aos Arquitetos conceberem e executarem seus projetos, dentro de valores de investimento antecipadamente anunciados pelos contratantes, resultando em um ?empreendimento viável?.

Destaquemos algumas competências requeridas dos Arquitetos para concepção e projetos de um Edifício de Saúde, sempre considerado como de ?alta complexidade?:

? Estar capacitado para acompanhar o trabalho dos Consultores que avaliarão as demandas atuais e futuras do mercado consumidor, descrevendo os diferentes serviços médico-hospitalares que serão prestados qualitativa e quantitativamente;

? Com as respostas do ?o que fazer!? e o ?como fazer!?, aos Arquitetos competirá o ?onde fazer!!!? expresso em um ?Programa Físico? que informará a estruturação inicial das ideias, sobre arranjos espaciais, que deverão ser trabalhadas centradas no comportamento simulado das pessoas, sejam pacientes, familiares ou operadores, sempre que possível baseadas em evidências. Uma matriz apontando os diferentes comportamentos rotineiramente registrados, como frente ao visor do Berçário até a ante-sala do Necrotério passando pela Unidade de Tratamento Intensivo e Centro Cirúrgico trará contribuições marcantes aos Arquitetos na concepção dos espaços para Saúde.

Como sugestão metodologia recomendamos aos Arquitetos primeiro desenhar as atividades e seus recursos, para então cuidar da organização espacial dos edifícios.

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta