5º CONAHP debaterá “O Hospital do Futuro: O Futuro dos Hospitais”. Faça já sua inscrição → Clique aqui

Os 5 passos “corretos” para o atendimento de saúde

Publicidade

A segurança do paciente e a gestão financeira dos hospitais são questões sine quo non para uma saúde de qualidade. Nesse contexto, a logística hospitalar tem se configurado como atividade essencial para reverter alguns dos cenários negativos que temos atualmente. Mas, para isso, ela precisa contar com processos bem estruturados, tecnologias de ponta, capacitação do capital humano e gerar valor agregado.

Pelos motivos apontados e considerando que abril é um mês simbolicamente dedicado à Segurança do Paciente, apresento aqui os  “5 corretos”,  fundamentais para a garantia dessa segurança e também para a melhor gestão financeira das instituições de saúde:

  1. Medicamento correto

Para garantir que o medicamento correto seja administrado ao paciente indicado é necessário realizar a rastreabilidade desse produto desde o seu recebimento, passando pela armazenagem correta, unitarização e serialização, para então ser entregue ao profissional que fará a administração ao paciente, que por sua vez deverá estar devidamente identificado com pulseira contendo, preferencialmente, código de barras data matrix integrada ao sistema geral. Com o suporte de tecnologia de ponta, é possível ainda cruzar os dados desse medicamento com o paciente e profissional, garantindo em 100% a integridade da cadeia do atendimento.

  1. Dose correta

A dose correta é fundamental para garantir a qualidade do tratamento e também a segurança do paciente. Segundo Estudo da Universidade de São Paulo, 14,4% das falhas relacionadas à medicação são provenientes da dosagem incorreta.  Nesse processo, a unitarização se torna fundamental, já que ela reduz os medicamentos em sua dose mínima de consumo, permitindo que chegue ao paciente exatamente o que ele deve e precisa consumir. Também, com o auxílio de tecnologia e integração de sistema, é possível avisar o profissional que está administrando o medicamento que aquela é a dose a ser dada.

  1. Via correta

Intravenosa, oral, entre outras. A via correta de acesso do medicamento é importante para o melhor resultado do tratamento, e para a natureza e quantidade a ser administrada para cada paciente. Pesquisa da Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo aponta que 6,1% dos erros relacionados a medicamentos são dessa natureza. A logística hospitalar é responsável pelo envio de kits contendo seringas e outros insumos necessários para aplicação e também pelo envio dos medicamentos corretos para cada tipo de administração.

  1. Hora correta

Também de acordo com a pesquisa da Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo, 77,3% dos erros de medicação estão ligados ao horário da administração. Esse é um erro comumente cometido em casa também, onde o paciente se esquece de tomar o remédio na hora correta. A checagem da hora é essencial para garantir a qualidade do tratamento e também evitar riscos ao paciente, por ingestão de elevadas quantidades em menor tempo ou por receber a medicação em períodos mais espaçados do que o necessário.

  1. Paciente correto

O ciclo do medicamento se encerra com o paciente. Por isso, a identificação correta desse indivíduo é fundamental para garantir que todo o fluxo siga seu curso sem intercorrências e podendo, assim, garantir a segurança desse paciente e também resguardar profissionais e instituições de saúde.

Quer saber mais sobre a cadeia de abastecimento hospitalar e os impactos na segurança do paciente e gestão das instituições? Convido você para assistir ao vídeo:

 

Mayuli Fonseca, diretora de novos negócios da UniHealth Logística Hospitalar

       
Publicidade

Deixe uma resposta