HIS17 Já emitiu sua credencial gratuita para o HIS '17? Já são +1.800 profissionais! Clique aqui

Você sabe o que é Balanced Scorecard (BSC)?

Em tempos de crise, especialmente financeira, muitos gestores ficam perdidos em relação a ações e estratégias a tomar para proporcionar às empresas um crescimento rentável e sustentável. Se não souber onde quer chegar, qualquer caminho serve. Mas, com conhecimento e ferramentas adequadas é possível traçar uma trajetória de sucesso sem volta.

Neste contexto, instituições de saúde precisam ter claros os objetivos e metas e, sobretudo, adotar as melhores práticas de gestão. A formulação de boas estratégias é o primeiro passo, mas esse não é um problema recorrente no setor. Existem no mercado inúmeros exemplos de estratégias bem formuladas. A execução e a qualidade do serviço realizado nesta fase é que têm se mostrado falhas. Tirar a estratégia e as táticas do papel tem sido o principal desafio para o gestor de uma instituição de saúde.

Quer saber como a Rede São Camilo garantiu uma gestão integrada das suas unidades?

Assista ao vídeo e confira o depoimento do diretor de TI da Rede São Camilo de Hospitais de São Paulo, Klaiton Simão, e confira como a Tecnologia da Informação é usada na instituição não só para registrar dados e monitorar faturamento, mas, sim, para obter diferencial competitivo.
Assista o vídeo

Esse gap entre a estratégia formulada e a sua execução pode ser facilmente resolvido pelo BSC (Balanced Scorecard). A ferramenta, desenvolvida por Robert Kaplan e David Norton, fornece os Indicadores Balanceados de Desempenho e é voltada para a gestão estratégica da empresa. Na prática, auxilia as organizações a traduzir a estratégia em ações do seu dia-a-dia e gerenciar o desempenho da empresa na implementação dessas ações. Ou seja, acompanha e analisa as estratégias formuladas, ajustando-as quando necessário. O objetivo principal da ferramenta é prezar pela qualidade na execução.

Em saúde, o BSC permite definir aonde se quer chegar e aonde se precisa chegar. A ferramenta não funciona de maneira estática, como um documento ou relatório. Ela é dinâmica e se permite modular conforme as necessidades. Todas as operações definidas na estratégia são acompanhadas, os resultados avaliados e os planos revisados, se preciso, durante a execução. Como uma ferramenta de comunicação, possibilita sobretudo traduzir a estratégia vigente em um sistema de gestão estratégica alinhando novos processos gerenciais aos resultados esperados por uma organização.

       

Deixe uma resposta