Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

Variação de temperatura pode favorecer a ocorrência de infartos

Publicidade

Dias frios favorecem a ocorrência de infarto nos paulistanos, principalmente entre idosos. Essa foi a conclusão da pesquisa realizada pelo cardiologista Luiz Antônio Machado César, do Instituto do Coração (InCor), e Rodolfo Sharovski, do Hospital Universitário (HU) da USP. O estudo relacionou o número diário de mortes ocasionadas por problemas cardiovasculares com dados de temperatura, umidade do ar, pressão e poluição atmosférica na região metropolitana. César dividiu os dados da temperatura na cidade em dez categorias. As mais baixas variavam entre 12ºC e 13ºC. As mais altas iam de 25ºC a 26ºC. Segundo o especialista, a menor taxa de mortes por infarto foi registrada nos dias em que a temperatura estava na casa dos 21,6ºC e 22,6ºC, patamar usado como referência. Diante da elevação ou queda da temperatura, observou-se aumento progressivo nas ocorrências de infarto, sendo que as taxas mais altas de morte aconteceram em baixas temperaturas.
Três motivos são citados por César para explicar a relação entre as condições do tempo e as variações no número de infartos na população. De acordo com ele, no frio, os fatores de coagulação do sangue ficam mais ativos, o que favorece a oclusão de artérias coronárias. Outro motivo é a vasoconstrição. Os vasos sangüíneos do corpo humano, para evitar a perda de calor em baixas temperaturas, se contraem. Em pessoas que já possuem algum tipo de placa de gordura atrapalhando a circulação arterial, a vasoconstrição pode provocar a obstrução completa do vaso e, conseqüentemente, infarto. Além disso, inflamações respiratórias, típicas de épocas frias, também colaboram com problemas cardiovasculares.
O cardiologista explica que caso o indivíduo se submeta a mudanças bruscas de temperatura, principalmente do quente para o frio, esses efeitos são intensificados – sobretudo a vasoconstrição. Já o calor promove a desidratação do corpo e isso faz com que o sangue apresente uma concentração maior de células, facilitando a formação de coágulos. Menores quantidades de água na circulação também levam à queda da pressão arterial. Idosos são as principais vítimas dos infartos relacionados às condições de temperatura.
Segundo César, esse tipo de estudo ainda não tinha sido realizado em regiões de clima subtropical, como São Paulo. Somente países de regiões temperadas fizeram levantamentos similares. Para ele, pesquisas como estas são importantes para que se tenha o máximo de correlações possíveis entre as condições ambientais e os problemas do coração. Assim, é possível orientar melhor os cidadãos, principalmente aqueles que possuem predisposição às doenças.

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta