Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

Transplante de órgão cresce 14% e bate recorde

Publicidade

Um levantamento feito pelo Ministério da Saúde apontou que, em 2010, o Brasil realizou cerca de 21 mil transplantes, número 14% em relação ao ano anterior. De acordo com o órgão, o fortalecimento do Sistema Nacional de Transplantes (SNT) e o aumento nos investimentos no setor foram os principais motivos para os números alcançados.

 

O levantamento também apontou um aumento de 13% na média nacional de doadores de órgão, que atingiu a marca de 9,9 doadores por milhão em relação a 2009 quando este índice era de 8,7 doadores. Segundo o Ministério da Saúde o índice de crescimento anual de doadores no Brasil tem aumentado cerca de 7% ao ano. Em alguns estados este número é acima da média, como em São Paulo e Santa Cataria, que atingem a marca de 21 e 17 doadores por milhão respectivamente.

O transplante de medula óssea também tem um expressivo crescimento atingindo 1.695 procedimentos realizados, 10,7% a mais em relação à 2009 e 53% maior do que em 2003.

Outro recorde atingido foi o de investimentos feitos pelo Ministério da Saúde que atingiram a marca recorde de R$1.198 bilhão frente aos R$990 milhões injetados no programa em 2009. Atualmente 95% dos transplantes de órgão realizados no País são feitos pelo Sistema Único de Saúde. A expansão do Registro Brasileiro de Doadores Voluntários de Medula Óssea (Redome) foi apontada como o principal motivo por esse aumento. Atualmente, o Brasil possui cerca de dois milhões de doadores cadastrados no Redome qua já é considerado o terceiro maior banco de dados do gênero no mundo, ficando atrás dos Estados Unidos, que possui cinco milhões de doadores e da Alemanha, com três milhões.

Você tem Twitter? Então, siga http://twitter.com/#!/sb_web e fique por dentro das principais notícias de Saúde. 

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta