Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

Top Hospitalar: farmacêuticas apostam na vitória

Publicidade

Criar benchmark e contribuir para o desenvolvimento contínuo do mercado de Saúde é uma das características do prêmio Top Hospitalar. Na categoria Indústria Farmacêutica, os finalistas apresentam projetos e argumentos para garantir a sua vitória e posição de liderança no mercado onde atua.

A Eurofarma, por exemplo, destaca o seu crescimento em todas as áreas de atuação, em 2009. Fruto de um trabalho ousado e estratégico, que resultou no crescimento da empresa de 23% em vendas, percentual superior ao do mercado farmacêutico, que cresceu 14% no mesmo período, segundo a auditoria do IMS. “Muitas ações podem ser citadas como destaque para o desempenho da empresa, como a confirmação da aquisição da Quesada, laboratório argentino, dando início ao processo de internacionalização. A meta é até 2015 cobrir 90% do mercado latino-americano”, relata a diretora de Sustentabilidade e Novos Negócios da Eurofarma, Maria Del Pilar Muñoz.

A área de Prescrição Médica foi responsável por aproximadamente 62% do total de vendas brutas da empresa e se destacou pelo lançamento de 17 novos medicamentos de marca. O desempenho da unidade de Negócios superou o do ano anterior, tendo registrado 22% de crescimento em vendas, com mais de 50 milhões de unidades comercializadas.

“No ano passado, a Eurofarma introduziu sete novos genéricos no mercado; todos com preços, no mínimo, 35% menores que os medicamentos de referência. Já a unidade Hospitalar, foi responsável por 13% do total de vendas da companhia, com vendas 17% acima das registradas no ano anterior”, salienta.

Na unidade de Oncologia, grande parte dos esforços estiveram voltados ao lançamento e a apresentação ao mercado do anticorpo monoclonal CIMAher® (nimotuzumabe), indicado para glioma pediátrico.

Em outubro último, a Eurofarma passou a fazer parte do rol de fornecedores da OPAS (Organização Pan-Americana de Saúde), órgão ligado a ONU (Organização das Nações Unidas) que visa melhorar as condições de saúde das populações que residam em países da América. “Com isso, a Eurofarma poderá participar de licitações organizadas por esse organismo internacional”, conta Maria.

Além disso, três plantas da companhia – as unidades Freguesia do Ó, Nações Unidas e o Complexo Industrial de Itapevi – receberam em 2009 a certificação ISO 14001, norma internacional que funciona como um selo de garantia de boas práticas ambientais.

Segundo a executiva, em Responsabilidade Social Corporativa, a empresa beneficiou mais de 81 mil pessoas, entre professores da rede pública, crianças, jovens e adultos de baixa renda. Foram R$ 3,2 milhões dedicados ao Instituto Eurofarma.

“Somos uma empresa que tem como missão oferecer tratamentos de qualidade a preço justo. É 100% nacional, tem planos ambiciosos de internacionalização que poderão aumentar a competitividade regional e vem investindo progressivamente em P&D. Além disso, é uma empresa ética e que coloca a Sustentabilidade em suas prioridades”, afirma.

Para 2010, a Eurofarma pretende efetuar mais uma compra internacional, manter o investimento contínuo em P&D (com destaque para as pesquisas para o lançamento da vacina para o combate ao câncer de pulmão) e a busca de novas licenças.

Mas a Roche, outra concorrente ao prêmio, confia levar o prêmio. De acordo com o presidente do laboratório farmacêutico, Adriano Treve, foram investidos cerca de 21% do faturamento em pesquisa e desenvolvimento de novos produtos, com foco nos medicamentos biológicos. “Somos uma das empresas que mais investe nesse setor. Dessa forma, poderemos ampliar o acesso da população aos produtos que fazem comprovada diferença no tratamento de doenças graves, como diversos tipos de câncer, hepatite C, doenças autoimunes, etc.”

A Roche acredita que em 2009 consolidou sua posição como uma das principais empresas de pesquisa e desenvolvimento de medicamentos biológicos, após a aquisição da Genentech, em março daquele ano. “No Brasil, iniciamos mudanças profundas para acompanharmos todas essas transformações, uma vez que o Brasil é considerado um dos países da América Latina mais importantes para o grupo”, diz Treve.

Para este ano, a empresa está se preparando para o lançamento de medicamento para o diabetes. Uma meta é consolidar a sua posição de liderança no mercado hospitalar.

Gestão de destaque e projetos ambiciosos são argumentados pelas três finalistas da categoria. Mas, a Pfizer vai além e aposta que a concretização da sua aquisição global da Wyeth foi um dos fatos mais importantes ocorridos em 2009. “A empresa passou a ser uma das mais diversificadas do setor farmacêutico, oferecendo opções terapêuticas para uma variedade de doenças, em todas as etapas da vida”, avalia o diretor da Unidade de Negócios Especialidades da Pfizer Brasil, Glauco Marcondes.

Esse também foi um período de consolidação da Área Hospitalar da Pfizer. Segundo o executivo, foram formadas equipes qualificadas para o atendimento a hospitais e clínicas especializadas, que demandam abordagem específica. Com esse trabalho focado, a Pfizer apresentou o maior crescimento do mercado institucional brasileiro em 2009, comparado ao ano anterior, com destaque para Zyvox (antibiótico indicado para tratar pneumonias hospitalares, infecções de pele e de tecidos moles, incluindo o pé diabético), com 41% de crescimento. “Destacamos também o lançamento de Ecalta, um moderno antifúngico que complementou o portfolio hospitalar da companhia”.

Após ter sido premiada nos últimos dois anos, a Pfizer acredita também levar o prêmio 2009. “Estar mais uma vez entre os finalistas de um dos prêmios mais importantes do setor de saúde reforça a atuação da Pfizer nessa área e já é uma conquista. O Top Hospitalar é um reconhecimento do trabalho de cada funcionário da companhia, cuja missão é aplicar ciência e recursos globais para melhorar a saúde e o bem-estar em todas as fases da vida”, explica.

O próximo passo da farmacêutica é dar continuidade ao processo de integração entre as duas empresas no Brasil em 2010.

Aproveite para votar! Para participar da 2ª etapa da premiação e receber a cédula de votação, basta ser assinante da Revista Fornecedores Hospitalares, Revista Saúde Business ou leitor do portal Saúde Business Web. Cada pessoa pode votar uma única vez, pelo sistema de pesquisa online com identificação de usuário e senha.

Você tem Twitter? Então, siga http://twitter.com/SB_Web e fique por dentro das principais notícias do setor.

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta