Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

Top Hospitalar: conheça os moldes de gestão dos laboratórios

Publicidade

A categoria Medicina Diagnóstica da 12ª edição do prêmio Top Hospitalar promete mexer com o mercado. Os finalistas estão confiantes em seu modelo de gestão e nas apostas de investimentos para 2010.

O laboratório Hermes Pardini desenvolveu a consolidação da área corporativa e adaptou a estrutura estratégica do negócio. O fortalecimento dos controles internos da empresa também contou a favor da empresa em 2009. “No ano passado, mudamos a estrutura comercial e de marketing com foco nas necessidades do cliente. Tivemos um crescimento orgânico no mercado de medicina laboratorial em um ambiente externo de consolidação por aquisições”, afirma o presidente do laboratório, Roberto Santoro Meirelles.

São por esses motivos que o executivo aposta na vitória do Hermes Pardini. “Acredito que somos a maior empresa de serviços de referência e apoio aos laboratórios de análises clínicas no Brasil, até mesmo pelo nosso nível de governança corporativa.”

Para este ano, o laboratório vai criar um novo Núcleo Técnico Operacional com alto grau de automação, integração do pré-analítico e analítico e baixo tempo de liberação de resultado ao cliente.

Santoro ressalta que irá buscar a diferenciação operacional no mercado de apoio laboratorial de análises clínicas sendo percebido como o melhor serviço de apoio laboratorial no Brasil. “Pretendemos também alcançar o reposicionamento da Imagem com foco em exames de alta complexidade.”

No caso da Dasa, o ano de 2009 foi um período de modificações no corpo diretivo da companhia, que, em linha com as diretrizes estratégicas, buscou constantemente a excelência na qualidade dos serviços prestados e satisfação de médicos e pacientes, equilibrando crescimento com eficiência operacional. Dessa forma, o quadro de diretores foi reforçado com novos talentos que compuseram a experiência dos executivos que já eram diretores da empresa.

A Dasa também passou por um processo de reestruturação de suas áreas de atuação. A companhia ingressou 2010 com as seguintes áreas de negócios: Apoio, Público, Privado e Hospitais.

“Renato Adam Mendonça assumiu como diretor Médico de Radiologia e Diagnóstico por Imagem. Considerado um dos mais renomados radiologistas do país e com mais de 30 anos de experiência, o especialista chega com o objetivo de ampliar e fortalecer a atuação da companhia em serviços de diagnósticos por imagem. Já o Carlos Alberto Moura assumiu a vice-presidência Corporativa e a diretoria Financeira. Ex-CFO do varejo do Unibanco, o executivo tem sólida experiência em controladoria e gestão de custos de operação de varejo”, comenta o vice-presidente de atendimento da Dasa, Antonio Carlos Gaeta. A direção de TI está sob o comando de José Francisco Cunha, e a direção para os assuntos ligados a recursos humanos e gestão de pessoas está sob responsabilidade de Marcelo Rucker.

Assim como o Hermes Pardini, a Dasa também se considera a maior empresa de medicina diagnóstica e saúde preventiva do Brasil e América Latina. A companhia atende cerca de 55 mil pacientes por dia de todas as classes sociais por meio do atendimento ao SUS nos contratos com o mercado público, além do Programa Popular, lançado em 2006, que oferece medicina diagnóstica com qualidade a preços populares, permitindo o acesso a quem não possui plano de saúde.

“Atualmente, a empresa possui mais de 12 mil colaboradores, oferece mais de três mil tipos de exames de análises clínicas e diagnóstico por imagem e processa em média 10 milhões de exames por mês”, destaca Gaeta ao citar que o grupo conta com 18 marcas em 12 estados e no Distrito Federal – Delboni Auriemo e Lavoisier, em São Paulo ; Bronstein, Lâmina e MedImagem, no Rio de Janeiro; Club DA, em São Paulo e Rio de Janeiro; Pasteur e Exame, em Brasília; MedLabor, no Tocantins; Frischmann Aisengart, em Curitiba; Laboratório Álvaro, em Cascavel e Foz do Iguaçu; CientíficaLab, no Espírito Santo, Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro; Image Memorial, em Salvador; Lâmina, em Florianópolis; Atalaia, em Goiás; Cedic e Cedilab no Mato Grosso; e LabPasteur e Unimagem, em Fortaleza.

Em 2009, a Dasa, por meio de uma licitação, operou o primeiro serviço de Tomografia Móvel da América Latina, que está em atuação no Estado do Rio de Janeiro. A unidade, que atende pelo SUS, está disponibilizando o serviço em cidades onde não existem esses equipamentos. De acordo com o executivo, os moradores de algumas cidades de entorno da capital fluminense estão podendo realizar pela primeira vez exames em Tomógrafos.

A Dasa acredita que 2010 será um ano bastante positivo já que 2009 foi um período de mudanças. No mercado de apoio a laboratórios, onde a empresa vem crescendo constantemente nos últimos anos, a expectativa é que novos clientes sejam conquistados e adicionados à carteira da marca Álvaro, que atua neste segmento. Também na área pública, que tem mostrado um crescimento contínuo nos últimos resultados, a Dasa está confiante em novos contratos. Já na área privada, no segmento ambulatorial e hospitalar, a companhia pretende abrir novas unidades e iniciar a atuação em novos hospitais.

“Essas perspectivas para 2010 reforçam a busca contínua da Dasa de implantar ações e programas para atender às expectativas e necessidades dos clientes e da sociedade, além de oferecer serviços de saúde com cada vez mais qualidade e conforto. Em 2010, o objetivo é reforçar a missão da companhia de superar, todos os dias, com iniciativa e criatividade a expectativa de nossos clientes, proporcionando diagnósticos de qualidade através de processos eficientes”, conclui Gaeta.

Já para o Fleury, certamente, o fato mais marcante em 2009 e de grande significado na trajetória do Grupo foi o seu ingresso no mercado de capitais, tendo suas ações listadas no mais elevado padrão de governança corporativa da BM&FBovespa, o Novo Mercado.

O Fleury também destacou a aquisição do Laboratório Weinmann, empresa de medicina diagnóstica de Porto Alegre, possibilitando o ingresso do grupo em um dos mais relevantes pólos econômicos do País, o Rio Grande do Sul. Essa foi a 23ª e maior aquisição realizada pelo grupo desde 2002.

“Além disso, empreendemos iniciativas que permitiram continuar no processo de crescimento orgânico, entre elas a inauguração da Unidade Itaim, sob a marca Fleury Medicina e Saúde, caracterizada por um amplo conjunto de inovações com destaque para suas instalações internas que, por meio de exposições temporárias estimulam os clientes a refletir sobre a gestão de sua saúde sob uma perspectiva preventiva. No âmbito da inovação, também, o Fleury foi a primeira empresa privada brasileira a realizar o exame para a detecção do vírus H1N1”, afirma o presidente do Grupo Fleury, Mauro Figueiredo.

De acordo com o executivo, igualmente significativo foi o início de prestação de serviços pelo Fleury no Hospital Santa Catarina, fortalecendo ainda mais a presença do grupo em instituições hospitalares de grande expressão no Brasil, uma vez que já estava presente nas seguintes instituições: Hospital Alemão Oswaldo Cruz, Hospital Samaritano e Hospital Sírio-Libanês, de São Paulo; Hospital Santa Joana e Unicordis, em Pernambuco; Hospital Moinho de Ventos e Hospital Ernesto Dornelles, do Rio Grande do Sul.

“O Grupo Fleury possui um conjunto de diferenciais que o tornaram referência nos mercados nacional e internacional, entre eles forte reputação e marca amplamente reconhecida; modelo de negócio focado no cliente; soluções integradas e excelência em serviços; solidez financeira aliada a crescimento sustentável; equipes médica, técnica e de saúde altamente qualificadas; administração reconhecida e altos padrões de governança corporativa; e investe em inovação, pesquisa e desenvolvimento de forma contínua. Além disso, reúne as estratégias e as competências necessárias para ampliar cada vez mais a nossa competitividade. A contínua prática dos nossos valores por nossos profissionais permite que perpetuemos a essência da nossa cultura ao longo do tempo”, destaca Figueiredo.

Em 2010, os principais projetos de desenvolvimento do Grupo Fleury são a expansão de suas atividades de medicina diagnóstica de maneira diferenciada e inovadora, com eficiência e rentabilidade, e a intensificação do processo de diversificação por meio de suas soluções nos segmentos preventivo e terapêutico.

Está prevista para este ano a continuação da expansão da unidade de negócio medicina diagnóstica de maneira diferenciada e inovadora, com eficiência e rentabilidade. E ainda, o Grupo Fleury tem a intenção de crescer ainda mais, por meio do crescimento orgânico e de aquisições nos mercados em que já atua e nos principais centros econômicos brasileiros em que ainda não está presente, e atender cada vez melhor os diversos mercados e classes socioeconômicas A, B e C com portfólio de marcas atuais e novas dirigidas a esses públicos.

Segundo Figueiredo, entre as principais iniciativas que viabilizarão essa expansão está a ampliação do portfólio de serviços oferecidos em cada uma das 15 marcas do grupo, principalmente os serviços de diagnósticos por imagem e de diagnósticos em diferentes especialidades, que possuem forte tendência de crescimento. Serão introduzidas diversas inovações em testes, tecnologias e metodologias diagnósticas, bem como continuará sendo objeto de renovação constante seu parque de equipamentos, permitindo perpetuar o reconhecimento em excelência e inovação obtido pelo grupo no mercado nacional e internacional.

“Também vamos expandir a rede de Unidades de Atendimento de todas as marcas e/ou mudança das Unidades de Atendimento para endereços mais estratégicos quando necessário, buscando ampliação, maior qualificação e melhoria da visibilidade da rede em cada uma das marcas, e consequentemente a atração de um maior número de clientes potenciais.”

O Grupo Fleury pretende continuar diversificando seus negócios, proporcionando aumento progressivo da representatividade da área Preventiva e Terapêutica do grupo. O Fleury acredita que a linha de gestão de doenças crônicas apresenta significativo potencial de crescimento, pois permite que operadoras de planos de saúde e empresas contratantes reduzam seus custos com saúde.

“Em 2007, havia 24,7 milhões de beneficiários de planos de saúde nos principais estados brasileiros, dos quais 1,5 milhão são doentes crônicos alvo desse programa. Esse potencial de mercado a ser explorado, associado ao fato de o grupo contar com uma parceria exclusiva com a Healthways, líder do mercado norte-americano nessa atividade em termos de receita, conforme estimativa da Disease Management Purchasing Consortium, reforça a convicção no crescimento dessa linha de negócio”, conclui o executivo ao comentar que o Grupo Fleury pretende, nos próximos anos, introduzir outros serviços diferenciados e inovadores no setor privado de saúde brasileiro.

Aproveite para votar! Para participar da 2ª etapa da premiação e receber a cédula de votação, basta ser assinante da Revista Fornecedores Hospitalares, Revista Saúde Business ou leitor do portal Saúde Business Web. Cada pessoa pode votar uma única vez, pelo sistema de pesquisa online com identificação de usuário e senha.

Você tem Twitter? Então, siga http://twitter.com/SB_Web e fique por dentro das principais notícias do setor.

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta