Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

TI não gera benefícios diretos no cuidado de pacientes, diz estudo

Publicidade

Enquanto pesquisas tentam descobrir se a tecnologia da informação na saúde (HIT) pode melhorar a qualidade do cuidado, um estudo da Columbia University Stroud Center e New York State Psychiatric Institute sugere que um sistema de TI em saúde não tem nenhum impacto significativo em soluções de saúde para uma população de 761 pacientes que estão em asilos.

O relatório “Effects of Electronic Health Information Technology Implementation on Nursing Home Resident Outcomes” (Efeitos da Implementação Tecnológica de Informação em Saúde na melhora para Residentes de Asilos) de edição online publicado em 6 de junho na Journal of Aging and Health, avaliou o impacto da implementação de um sistema abrangente de HIT na residência clínica, indicadores de resultado de atendimento de qualidade e funcional, bem como medidas de conscientização do residente e satisfação com a tecnologia.

O estudo também sugere que se outros estudos não revelam uma conexão entre a implementação de HIT e a melhoria nos indicadores de qualidade de cuidado, funcional e clínicos em asilos, as descobertas devem pesar sobre a decisão do processo de tomada de decisão sobre a implementação da HIT nos lares.

O relatório afirma: ?Consistente com uma série de estudos de HIT no tratamento crítico e cuidado ambulatorial, não parece haver nenhum efeito positivo demonstrável da tecnologia sobre os moradores?.

Há pesquisadores que também estão preocupados com a possibilidade da HIT ter algum efeito negativo ?Residentes de asilos tiveram uma aumento de comportamento contestador, enquanto uma redução nos asilos de controle foi observada. São necessárias mais pesquisas para determinar se há uma relação entre a HIT e as questões comportamentais e quais mecanismos podem estar sob essa relação?.

Para chegar a suas conclusões os investigadores realizaram duas avaliações pessoais dos residentes dos asilos em cinco tratamento e cinco unidades de comparação. A primeira avaliação ocorreu pouco antes da introdução do HIT, a segunda foi realizada aproximadamente nove meses depois. Os lares estão localizados na área metropolitana da cidade de Nova York.

Apesar dos resultados negativos, em geral, os moradores avaliaram bem as mudanças nos seus cuidados desde a introdução do HIT em suas instalações. 62% sentiram que o atendimento permaneceu o mesmo; 30,6% avaliaram a melhora no atendimento e 7,1% afirmaram que o cuidado no atendimento piorou.

Baseado em suas descobertas os pesquisadores observaram que os residentes em geral sentiram que a tecnologia computadorizada não parece levar à insatisfação do residente ou a má comunicação.

O estudo também mostrou que os residentes tiveram uma atitude positiva frente aos dispositivos móveis. Quase três quartos (70,8%) dos questionados concordaram que os dispositivos ajudaram a equipe com o cuidado, com uma porcentagem semelhante (72,8%) responderam gostar do uso de dispositivos para ajudar a equipe com seu cuidado.

Além disso, mais de dois terços (69,3%) relataram que o pessoal usando os dispositivos não interferiu com o tempo com os enfermeiros ou outros membros da equipe.

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta